CAINDO NA REAL

CAINDO NA REAL

Nunca vim pra cá alimentar falsas esperanças em quem se dá ao trabalho de ler o que escrevo e não seria agora que iria começar. Sendo assim, se algum de vocês imagina que neste texto vão encontrar algum tipo de incentivo a fazê-los crer na possibilidade de vencermos esse Brasileiro, melhor desistirem dele logo no início. Minha surpresa em ainda conquistá-lo este ano só seria comparável a ver o Vasco contratar o Messi para a próxima temporada, pagando à vista por seus Direitos Federativos.

Neste momento, minha torcida se direciona a garantir o G4 e carimbar nosso passaporte para a fase de grupos da Libertadores do ano que vem. E não se iludam! Nossos jogadores, treinador e dirigentes têm plena consciência que, faltando 3 rodadas e a 5 pontos do líder, nossa realidade é essa. Apenas não podem vir a público admiti-lo e seguem com o discurso de praxe para esse tipo de situação, onde o “fortemente improvável” ainda não se tornou “matematicamente impossível”.

É chato admitir. Peço desculpas aos amigos que ainda crêem, mas, talvez por não ser religioso, não costumo ficar esperando por milagres. Por maior que seja minha ansiedade por títulos de expressão, prefiro respirar fundo, levantar a cabeça e partir para a próxima.

No Futebol não existe jargão mais batido, e chato, do que aquele que diz “Futebol se decide nos detalhes”. Mas, particularmente este ano, foi o que aconteceu. Esqueçam nossas atuações sofríveis em algumas partidas (como a última), falhas individuais dos componentes do nosso setor defensivo, atuações decepcionantes dos nossos principais jogadores ou a falta daquele necessário tostãozinho de sorte em determinados momentos.

Imaginem apenas se, logo na nossa estréia, aquele Soprador de Apito não tivesse cometido o erro grosseiro, que nos custou dois pontos. Ou então, que o gramado do Maracanã não se tornasse um adversário, a ponto de propiciar aquele “Montinho Artilheiro” no jogo contra o Ceará ou o “Montinho Zagueiro” naquela bola que chegou para o Paquetá finalizar contra o Palmeiras. Mesmo com todas as opções erradas do nosso comando, mesmo com todas as falhas individuais que aconteceram, seríamos NÓS os LÍDERES neste momento.

Exatamente por esses motivos, sou contra uma reformulação RADICAL no nosso elenco, o que nos obrigaria a recomeçar quase do Zero. Temos problemas, SIM, deficiências pontuais conhecidas, mas continuo achando nosso elenco com muitas qualidades, já com um apreciável entrosamento (que se perderia com uma grande reformulação) e jogando um futebol que, em muitos momentos, dá prazer de ver, ao contrário da maioria esmagadora dos nossos adversários.

O Palmeiras vai ser Campeão novamente, também porque seu principal jogador (Dudu) conseguiu ser decisivo nos momentos cruciais, enquanto o que deveria ser o nosso estava com a cabeça na Europa, ou cavando expulsões para desfrutar melhor da sua Lua de Mel.

Estamos às vésperas de eleições e, independentemente da chapa vencedora, certamente haverá uma mudança de postura na relação Direção/Elenco. Algo que, até por uma questão de personalidade, inegavelmente faltou na gestão EBM. Teremos problemas importantes por resolver, mas não tão graves a ponto de exigir medidas radicais com relação à formação de um elenco que esteve tão próximo de seu objetivo.

O Flamengo, HOJE, tem recursos para investir, estrutura de apoio, uma boa base como ponto de partida, e o desejo da maioria dos jogadores no mercado em jogar aqui. Portanto, basta não incorrer nos mesmos erros da gestão atual, para ficarmos ainda mais próximos do que esperamos há TANTO tempo.

Sobre esse jogo contra o Grêmio, pensando de cabeça fria e sendo coerente com o que escrevi no início do texto, não considero o empate um mau resultado. Manteríamos uma rodada de vantagem sobre o nosso adversário mais perigoso (restando apenas duas), o que praticamente nos garantiria na fase de grupos da Libertadores do ano que vem.

Mas confesso a vocês que, a partir do momento que a bola rolar, vou ficar esperando por uma vitória contundente, indiscutível. Daquelas que reforçariam minha convicção de que MERECÍAMOS esse Caneco, por termos, mesmo que apenas em alguns momentos, exibido o futebol com mais cara de um verdadeiro Campeão neste Brasileiro. Sendo assim ...

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!

.