CHEIRO DE FRACASSO

CHEIRO DE FRACASSO

Meus amigos flamenguistas, o fim de gestão do senhor Eduardo Bandeira de Mello é melancólico, conseguiu terminar mais um ano com vexames e derrotas. Não pensem que terminar o campeonato com o vice campeonato e com “melhor campanha dos pontos corridos” seja algo bom.

Primeiro que a melhor campanha dos pontos corridos foi em 2009 quando bateu campeão, ser vice, como dizia o ex-piloto de Formula Indy e Fórmula 1, Alessandro Zanardi, o vice campeão é apenas o primeiro entre os derrotados.

Bandeira conseguiu ter mais vices do que títulos. Foram quatro vices contra três títulos, sendo que dois dos títulos foram estaduais, que hoje não servem para nada, nem mesmo a gozação com os rivais tem graça, porque acabou o jogo, chegou a segunda-feira e a gozação acaba.

Muitos jogadores do elenco atual já encerraram o seu ciclo, até porque foram contaminados pelo espírito derrotado e acomodado do presidente do clube. Não vejo para estes jogadores uma mudança de mentalidade vindo nova direção e nova comissão técnica. Hoje o Flamengo precisa de jogadores que sejam decisivos e que tenham tesão em ganhar títulos.

Passamos o ano de 2018 sem técnico, sem laterais, sem planejamento e com um pensamento megalomaníaco do Bandeira de Mello que pensava em enfrentar o Real Madrid, pelo perfil dele nem no videogame ele irá conseguir tal proeza.

Antes éramos zoados por atrasar salários, mas no final tinham que nos aturar porque ganhávamos títulos, hoje o Bandeira transformou o Flamengo em chacota, em time de cheirinho, em time de quase, que abre CT para clubes que zoam sempre o Flamengo, que protege jogador perna de pau, esse é o legado que o Bandeira deixa no futebol do Flamengo.

Ano que vem, o próximo presidente vai pegar um clube estruturado, com poder de investimento e com a OBRIGAÇÃO DE SER CAMPEÃO!

Sim, o Flamengo ano que vem tem a OBRIGAÇÃO DE GANHAR O BRASILEIRO. Esqueçam a Libertadores, esqueçam a Copa do Brasil, o campeonato que o Flamengo tem a obrigação de ganhar o campeonato brasileiro, seja quem for o técnico, o elenco ou o presidente, a obrigação é o Brasileiro.

Jogador que acha normal perder, que acha normal ser vice, que se contenta com vaga em G-4 não serve para vestir o Manto Sagrado. Dirigente que garante bicho para ser vice não serve, jogador que quiser ganhar bicho tem que ser campeão, fora isso, já ganha muito bem e em dia.

Que São Judas exorcize este espírito derrotado e acomodado que o Bandeira trouxe para o Flamengo, que ele vista seu pijama e nem no Maracanã ele apareça, porque é um pé de iceberg, consegue entrar para a história como o presidente mais perdedor do Flamengo.

E vamos combinar uma coisa, a partir do ano que vem vamos exaltar apenas títulos, comemorar boa campanha é coisa de quem torce para time pequeno, isso nunca foi coisa de flamenguista.

SRN!