| Futebol

- E O TROFÉU GOLFINHO DE 2015 VAI PARA ...

BEIJINHO BEIJINHO, TCHAU TCHAU !!!

 

Quem costuma gastar seu tempo lendo o que comento aqui deve se lembrar que, VÁRIAS vezes, eu disse que deveria estar acontecendo algo nos bastidores, desconhecido por nós, para justificar tamanha queda repentina de produção. E realmente estava!
A festinha que motivou todo esse “choque de ordem” foi apenas MAIS UMA, de um grupinho descompromissado com o clube, desrespeitoso com a torcida, e responsável direto por problemas que levaram à divisão no elenco.

DIVISÃO NO ELENCO? Pronto! Está explicado o mergulho.
Por sinal, um mergulho que conseguiu ser ainda mais vertiginoso do que aquele pulinho rápido que demos na superfície. Aquelas seis vitórias consecutivas, que ingenuamente imaginamos ser mais uma arrancada sensacional rumo a alguma coisa que valesse a pena, acabaram servindo mesmo é para nos livrar do fundo do poço. Não fossem elas ...

Ainda bem que esse episódio veio a público, para tomarmos conhecimento dessa preocupante divisão existente no elenco e entendermos que a culpa não é APENAS dos treinadores, como acreditamos ser na fase Cristóvão. O que temos visto hoje em dia é muito diferente do que víamos na sua época? Pois é!

Foram OITO treinadores nesta gestão e com um NONO já sinalizado.
Desconfio seriamente que poderíamos trazer até o Guardiola, pois, neste momento, com esse grupo desunido, descompromissado e tão desestabilizado emocionalmente, não tenho certeza se chegaríamos acima de onde estamos.

Não sei o que acontecerá nas eleições e muito menos se o Osvaldo vai continuar no cargo. Mas, se ele ligasse pra mim desesperado perguntando o que fazer neste momento, eu lhe diria para chamar Walace (nosso esclarecido Capitão), Emerson (o experiente torcedor que joga) e o Jaime (quem melhor conhece o elenco) num canto e os ouvisse atentamente.
Acredito que, dessa forma, os quatro poderiam chegar a conclusões importantes, diminuindo o risco de errar nas escolhas, em um momento que o Flamengo já esgotou sua cota de erros no ano.   

Financeiramente, 2015 pode ter sido uma maravilha, mas, esportivamente, foi UM DOS PIORES anos dos quais eu me lembro na nossa história. Vexame no Carioca, Vexame na Copa do Brasil e Vexame no Brasileiro.
PIOR! Vendo o “Time do Povo (da mídia)” nos igualando em conquistas de Brasileiros. Só ficaria faltando mesmo o Vasco se salvar, para a TRAGÉDIA ficar completa.

Embora sejam inegáveis os méritos de uma administração que tem diminuído nossa dívida monetária de forma tão consistente, seria fecharmos os olhos para a realidade negar a que existe perante nossa torcida e tem sido igualmente consistente na capacidade de crescer, tornando inevitável a pergunta: SERÁ MESMO QUE SÓ O NOSSO ELENCO PRECISA DE UMA FAXINA ???

A torcida fez sua parte, cumpriu seu papel. Liderávamos a presença de público na competição, até o momento em que ela descobriu ter sido enganada. Como também respondeu prontamente no PST, após a vinda do Guerrero.
A quantidade de adeptos ao programa ainda não é a esperada para a MAIOR DE TODAS? Verdade!
Mas existem alternativas possíveis para um clube sem estádio próprio ter um número de associados compatível com sua grandeza. Como reiteradas vezes já sugeri aqui, a solução é simples na concepção, embora nem tanto na execução.

Basta que nossos Gestores enfrentem as barreiras conhecidas e consigam o direito de voto para esses Sócios Torcedores. Possivelmente, vão se surpreender com a quantidade de interessados na oportunidade de influenciar os caminhos de seu clube do coração.
Enquanto o destino de 40 milhões continuar dependente de tão poucos, todos os tipos de distorções se tornam possíveis. Até mesmo um, embora improvável, indesejável retorno dos “Vampiros”.

Neste momento, diante do clima de Fim de Festa instaurado e me sentindo roubado no prazer de assistir futebol (ou qualquer programa relacionado ao assunto), o que me resta é torcer para que os sócios votantes que forem até a Gávea no dia 7 sejam VERDADEIROS torcedores do Flamengo e não apenas meros frequentadores do “Parquinho”.

Dura realidade este ano, para quem é flamenguista e acostumado a festejar. O que sobrou mesmo foi o Réveillon! E que os ventos de 2016 nos sejam favoráveis, pois este 2015, marcado por tantas decepções, tristezas e revolta, está sendo MUITO difícil de engolir e eu quero mais é vê-lo pelas costas.

PRA CIMA DELES, MENGÃO !!!

 


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.