A BOLA NÃO ENTRA POR ACASO

A BOLA NÃO ENTRA POR ACASO

Meus amigos flamenguistas, não li comentários, não vi programas esportivos e não acessei redes sociais para tentar escrever sobre o jogo apenas com a minha própria análise e opinião pessoal, portanto concordar ou discordar faz parte do debate.

Jogo mais difícil do ano, adversário tradicional em competições no continente, a velha catimba uruguaia e tivemos um time onde algumas peças não renderam como em outros jogos.

Pois bem, um primeiro tempo com poucas oportunidades, algumas bem trabalhadas onde nosso ataque não conseguiu aproveitar. Filme já esperado até então. Em faltas próximo da área uma jogada ensaiada que não deu certo e ainda foi insistentemente usada, apenas uma jogada ensaiada, sem outra para tentar surpreender o adversário.

Para completar o Abel que desde janeiro, jogando com Madureira, Americano, Resende e outros, JAMAIS testou a substituição feita ontem, tirar o Arão para colocar o Vitinho, mexer no posicionamento do Éverton Ribeiro, colocar Bruno Henrique de centroavante e Gabriel aberto pela direita, onde poucos minutos depois foi expulso tentando desarmar uma jogada. Errou sim e muito o Gabriel, mas aí eu pergunto: sem essa mexida ele estaria ali dando aquele carrinho?

Qual o motivo de não utilizar a maior contratação da história? Qual o motivo de não usar o Arrascaeta? Fazendo uma pequena observação: Rodinei perde um gol feito em um clássico e na rodada seguinte vira capitão do time, o Arrascaeta decide um clássico e na rodada seguinte fica no banco e não entra.

Temos visto um time pilhado, ansioso, sem paciência em campo e consequentemente tendo jogador expulso e um excesso de cartões. Coincidência ou não, tais fatos ocorrem logo após a demissão do psicólogo do departamento de futebol.

O preparo físico já não é o mesmo do ano passado, o Marcos Braz trouxe um “parça” que estava desempregado e que o último trabalho havia sido no Bonsucesso. O CEP foi todo destituído pela nova gestão, coincidência ou não, os números de lesões musculares aumentaram este ano, em isso porque estamos ainda em abril.

O time em campo anda mais bagunçado e sem organização, Abel não tem repertório para mudar a forma de jogar, ontem foi ainda pior que aquela derrota para o Fluminense. Abel errou tudo no jogo de ontem, achar que o fato de ser motivador e fazer o estilo paizão vai nos levar a conquista de algo importante este ano é ser muito ingênuo.

Futebol mudou, não se faz mais futebol como no século passado, a ciência entra sim em campo, ter uma boa equipe por trás avaliando adversários, prevendo lesões, fazendo uma carga diferenciada na preparação física em cada jogador é sim muito importante. Em entrevistas dos uruguaios na chegada ao Rio vi vários falando dos pontos fortes do Flamengo, e não vi nenhum jogador nosso ou mesmo o técnico mostrar um mínimo de conhecimento sobre o Peñarol.

A bola definitivamente não entra por acaso.

SRN!  

Clique aqui e faça parte do nosso canal do Telegram e receba todas as notícias em tempo real.