| Futebol

A BOLA NÃO ENTRA POR ACASO

Só peço um futebol melhor planejado.

 

A bola não entra por acaso é um livro escrito por Ferran Soriano, ex dirigente do Barcelona que transformou o clube na potência que é hoje, profissionalizou o futebol, refez toda a estrutura de negócios e investiu pesado nas categorias de base do clube, uniformizando a forma de jogar em todas as categorias.

Pois logo que assumiram o clube em 2003, um dos gestores do Barça na época soltou o seguinte conselho ao Ferran: “Amigo, vou lhe dar um conselho: não venham aqui dispostos a aplicar grandes técnicas de gestão, nem com vontade de usar o senso comum, nem a lógica empresarial. O futebol é diferente, aqui conta se a bola entra ou não entra. Se entrar tudo vai bem, se for pra fora tudo é um desastre. É uma questão de acaso.”.

Lógico que não seguiram este conselho e transformaram o Barcelona hoje nesta potencia mundial que conhecemos.

E o que isso tem com o Flamengo, o que isso tem haver com a nossa eliminação na Copa do Brasil e mais um ano sem ganhar um título nacional? Conversando com amigos e um deles me perguntou, qual a culpa da diretoria na eliminação de ontem? Bem ela tem sim sua parcela de culpa e vou explicar o porque.

Ontem em um espaço de cinco minutos perdemos o Guerrero e o Ederson por contusão, e quem são os reservas dos dois jogadores, Kayke e Alan Patrick, mas ambos não estavam no banco de reservas porque já haviam jogado a Copa do Brasil por outros clubes, ou seja, contratações que para a Copa do Brasil de nada serviam.

Houve um erro de avaliação do elenco, afinal foram liberados jogadores que poderiam estar no banco e de nível como eram Alecsandro e Eduardo da Silva, assim poderíamos ter em campo o Cáceres, que nunca perdeu para o Vasco e com um aproveitamento superior a 70%, será que ninguém no clube sabia do desempenho do paraguaio em campo.

No livro do Ferran, ele diz que a gestão do clube é preciso você ganhar sempre no campo e sua avaliação é semanal e o que é pior, essa avaliação é pública. Torcedores, jornalistas e investidores estão sempre avaliando o desempenho dos times e dos jogadores.

Quando eu critico o erro de planejamento do Flamengo de todos os jogadores contratados no início do ano, apenas dois permanecem no clube, Pará e Marcelo Cirino. Jogadores como Thalysson, Arthur Maia e Bressan já saíram do Flamengo. Houve erro de avaliação nas contratações? Houve estudo de desempenho deles nos seus clubes e com a camisa do Flamengo? Quais os critérios utilizados em suas contratações?

E o que vimos depois foram os mesmos erros cometidos por todas as diretorias que passaram pelo Flamengo, montagem do elenco no meio das competições. No meio do ano chegaram Ayrton, Alan Patrick, Guerrero, Sheik, Ederson e César Martins, óbvio que são nomes muito superiores aos nomes que saíram, nem se discute, mas e a base que foi mantida? A mesma que brigou para não cair no ano passado.

Claro que futebol não é uma ciência exata, que sempre pode acontecer do mais fraco ganhar do mais forte, isso sim é um acaso, mas um clube que se planeja e que se fortalece o acaso ocorre de formas esporádicas.

Para a bola entrar não é somente questão de sorte, não foi azar ninguém marcar o jogador do Vasco, se vamos terminar o ano sem a possibilidade de vencer um título nacional tenham certeza que não foi por conta do acaso, mas sim por um planejamento com escolhas equivocadas que mais uma vez nos levaram ao fracasso.

Obs. 1: Aos árbitros que querem receber um faz me rir de direito de imagem, saibam que serão criticados sim, Sheik tem na Constituição Federal a garantia de se expressar livremente.

Obs. 2: Até iria fazer uma piada com o Vasco, mas vou esperar dezembro.

 

SRN!!! 

 


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.