| Futebol

A ‘elitização’ rubro-negra é um mito!

flameng - A ‘elitização’ rubro-negra é um mito!

Caros Rubro Negros,

Semana que vem temos o primeiro jogo da final da Copa do Brasil. Novamente veremos o Flamengo protagonizando um grande jogo em busca de um título relevante. E como não pode deixar de ser quando o Flamengo está em destaque, uma polêmica antiga, que vinha “morna”, volta a ser motivo de discussões acaloradas: Elitização nos estádios, precificação dos ingressos e o programa ST.

Sempre que se fala nesse tema alguns pontos chave são repetidos: questões relativas a preços proibitivos de ingressos como algo utilizado para forçar os torcedores a serem STs. A elitização nos estádios, advinda desses altos preços de entradas e que para alguns é representada por torcedores ávidos no uso de seus celulares durante a partida, a já designada “Fla-Selfie”. E o afastamento dos torcedores de mais baixa renda dos estádios, justamente por conta de todo esse contexto.

Sou da seguinte opinião: Apesar de carecer de ajustes ( que estão sendo procurados, a meu ver) a postura do Flamengo nesse assunto caminha no rumo certo. Não acho justo de forma alguma colocar nas costas do Flamengo o preço de uma elitização que, se de fato existe, não aconteceu por conta do Flamengo e sim por conta da realidade que nos cerca.

Por exemplo, o vejam ST nesse contexto. Existe uma tendência no futebol mundial de valorizar os programas de ST como fonte de renda fundamental para a manutenção e o crescimento das equipes. E, entre as diversas formas de se administrar e incentivar o torcedor a se associar, certamente é válido que o programa dê prioridade e bons descontos na compra do ingresso para as partidas. Ora, se o preço do ingresso for muito barato, qual será a grande vantagem de ser ST? Há de se procurar um preço que consiga estar no ponto correto, nem tão caro que seja proibitivo para os não associados e nem tão barato a ponto de afundar o próprio programa de associados. E vejam só: Hoje, o ST do Flamengo conta com planos a partir de R$ 29,90 mensais. E sobe gradativamente, de acordo com as vantagens do plano, que resumidamente, se resumem a prioridade na compra dos ingressos para as partidas. Sinceramente, R$ 29,90 não me parece valor abusivo.

Alguns podem dizer que com esse plano o torcedor não conseguirá comprar ingressos para um jogo do apelo dessa final. Ok. É verdade. Contudo, como podemos ver nos últimos jogos, certamente não faltará oportunidades para ver outros jogos do Fla com esse plano. “Ah, mas ele quer ver a final”. Então ele vai ver como 99% da torcida do Flamengo verá: Através da TV. Contudo, não poder ir ao estádio é rotina para a maior parte da torcida Rubro Negra, a parte conhecida como “off Rio”. E isso não nos impede de sermos apaixonados e dedicados torcedores. E mesmo nas épocas em que o grande Maracanã recebia 150 mil pessoas… mesmo nesses tempos a grande maioria da torcida via o jogo pela TV ou ouvia pelo rádio e isso não impediu a nossa torcida de ser tão imensa a ponto de ser chamada de Nação. Portanto, apesar de ser uma experiência incrível e que deve ser incentivada, não poder ir ao estádio sempre não faz de ninguém menos torcedor e não faz com que nossa torcida possa ser “extinta” ao longo do anos, como alguns querem nos fazer crer.

Falando em Maracanã, vejamos por exemplo o caso do ex gigante: O Maraca hoje é um estádio que pode receber 78.838 espectadores como lotação máxima e, todavia, encontrou-se “lotado” com meros 53.148 presentes e 47573 pagantes na semifinal da Copa do Brasil contra o faísca. Uma diferença brutal entre o público que poderia ser recebido e o que de fato presenciou a peleja não é? Ora, com uma série de custos fixos como os que o Fla paga quando joga por lá, não poderia o Rubro Negro carioca praticar um Ticket médio um pouco mais barato caso não houvesse esse “gap” monstruoso entre o que o estádio poderia receber e o que de fato nos permitem? O Maracanã não foi “elitizado” por conta dos preços de ingressos que o Fla cobra nos seus jogos por lá. Ele foi elitizado na ocasião da reforma para a Copa do Mundo. Reclamem com as autoridades. Que “mataram” o Maracanã e ainda entregaram a uma concessionária que escalpelou o Flamengo nos últimos anos. Isso sem falar que contamos hoje com 2 estádios para mandar jogos nos quais somos meros inquilinos. Isso também tem que ser colocado em todo esse contexto.

No mais, não se pode negar de forma alguma que a desigualdade social e a pobreza são mazelas do nosso país. Obviamente milhões de torcedores fanáticos certamente não tem condições de serem associados. E Isso não é exclusividade da torcida do Fla e não é demérito para ninguém. E muito menos uma responsabilidade do Fla para com a sociedade. Isso é fruto do mundo em que vivemos. Simples assim. E entra uma outra questão nesse ponto: O camarada que não tem condição financeira para pagar R$ 29,90 no plano de ST tem condição de pagar o ingresso para ver partidas regulares do Fla, mesmo que as mesmas fosse mais baratas do que atualmente tem sido? Quanto vocês acham que deve custar o ticket médio para um jogo da série A do Campeonato Brasileiro, envolvendo um grande time do país como é o Flamengo? Lembre-se dos custos envolvidos. Lembrem-se: queremos no nosso elenco Diego e Everton Ribeiro e não Val e Diogo.

Então, no frigir dos ovos, o Flamengo hoje tem razão. Está procurando o “ponto ótimo”, onde terá o máximo de associados, de público presente e poderá cobrar o ticket mais alto possível nesse ponto. Vai errar nessa procura. Mas não tem jeito. A elitização não é Rubro Negra. Isso é um mito. O mundo mudou. Não estamos mais na década de 80, onde ingressos para jogos de futebol eram baratíssimos. As cifras envolvidas são muito diferentes. Esse tempo não volta mais. Quem puder ir aos jogos, que vá. Quem puder ser ST, que seja. Quem não puder não é menos torcedor do que ninguém e verá o Fla ser campeão pela TV, como a maioria de nós. Que assim seja.

Opine, elogie, critique…Participe!! E se você ainda não é Sócio Torcedor…faça o seu imediatamente!!! O seu maior benefício é ver um Flamengo cada vez mais forte!!

Curioso: Há alguns anos atrás o Internacional disputou uma final na qual apenas participantes do ST deles tiveram ingressos para o jogo. A imprensa toda achou lindo. “Por que o ST do Inter deveria servir de exemplo para os outros times”. Agora que o Flamengo tem a oportunidade de fazer o mesmo por conta da expansão do seu próprio ST a reação da imprensa é diferente. E o que fizer do Atlético Mineiro, na final da Libertadores? Cobrou preços exorbitantes nos ingressos. E pior: Na final da Copa do Brasil o preço dos ingressos foi mais alto do que “o mercado” teve condição de pagar. Resultado: Menos ingressos vendidos do que o disponível na final. Mas quando é o Flamengo: “Ah, o papel social do futebol.” “Ah, estão elitizando o esporte”. Engraçado que na hora de pagar as contas do clube ninguém se manifesta. (Em 2013 até o MP achou que tinha que se manifestar, vejam só vocês). Só posso chegar a conclusão que o tamanho do Flamengo é a única justificativa para esse tipo de comportamento. Dá clique. Vende jornal.

Cumpriu Tabela: Clubes e CBF tentando dinamitar o PROFUT. Por que “cumpriu tabela”? Por que já era esperado que esses cartolas do século passado fizessem isso. E, sinceramente, não me preocupo tanto caso esses times não sejam sumariamente rebaixados por conta de não cumprir compromissos e serem excluídos do PROFUT. A conta chega. Os clubes que saírem do PROFUT estarão sujeitos a penhoras de toda espécie e sem dinheiro em caixa. Acabam tendo desempenhos esportivos pífios. Vide o Botafogo em 2014, que foi rebaixado sumariamente muito por conta disso. Esses cartolas cretinos podem fazer o que quiserem. O cobertor deles ficou mais curto. Basta que as autoridades façam o que vinham fazendo em relação as penhoras dos devedores.

Esclarecimento: Um de nossos leitores mais assíduos trouxe a minha atenção que, de alguma forma, a expressão que sempre trouxe aqui sobre o trabalho do ZR não seria compatível com o conteúdo elogioso de minha última coluna ou que isso de alguma forma impactaria em colunas futuras. Discordando disso, trago esse esclarecimento até no intuito de encerrar o assunto ZR, uma vez que o mesmo sequer é técnico do Flamengo agora e acho uma perda de tempo continuar falando nisso:

1 – Todos os leitores aqui já conhecem minhas opiniões sobre o trabalho do ZR no Fla. Estão nas colunas, na internet e nas posteridade, por assim dizer. Não é preciso repeti-las agora por que o técnico foi demitido. Contudo

2 – Dessa forma não me constrangido de forma alguma em minha condição de falar do Flamengo hoje, do Rueda, da diretoria ou do elenco , seja pelas opiniões que dei nesse passado recente, ou em qualquer análise que já tenha feito aqui. Da mesma forma que dei opiniões sobre jogadores e sobre o técnico anterior, o farei sobre o próximo de assim sucessivamente. Quero crer que todos conseguimos entender a diferença entre ponderação e uma defesa cega (ou um ataque altamente carregado de emoção). Meu perfil aqui sempre foi e sempre vai ser o de ponderar e buscar trazer opiniões equilibradas. Nunca como dono da verdade. Mas como mediador, de alguma forma, e principalmente como um Rubro Negro como qualquer outro. E nada mudará quanto a isso.

Por fim acredito que todos os Rubro Negros aqui presentes torcem para o bem do Flamengo acima de qualquer pessoa que lá esteja. E o mesmo vale para mim.

Luiz Henrique Amorim
contato@colunadoflamengo.com

 

Fonte: http://colunadoflamengo.com/2017/08/elitizacao-rubro-negra-e-um-mito/

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.