A importância das redes sociais para os clubes de futebol

A importância das redes sociais para os clubes de futebol

A era digital e moderna tem tido um grande impacto na forma como os clubes de futebol lidam com a sua tática de marketing, especialmente com as redes sociais a serem tão populares nesta geração. O Flamengo é o clube brasileiro com mais seguidores nas redes sociais, tendo superado o Corithians no final do ano de 2017.

Existem outras formas mais tradicionais no que toca a marketing no futebol, mas atualmente, as redes sociais podem gerar entre 5 a 20% dos valores totais dos patrocínios. Um exemplo é a La Liga (a liga espanhola) em que o confronto entre FC Barcelona e o Real Madrid em Dezembro de 2016 gerou 42.5 milhões de dólares em publicidade dos patrocinadores entre todas as plataformas, sendo que as redes sociais corresponderam a cerca de 12% deste valor total. Com tantas oportunidades surgindo, e a Copa do Mundo 2018 se aproximando, estamos ansiosos para ver estas 4 novidades nesta temporada.

1 – As principais plataformas das redes sociais e o Instagram
Durante a temporada de 2016/2017, cerca de 62% dos valores foram entregues através do Facebook. Será fascinante ver como os clubes de futebol irão evoluir as suas estratégias ao utilizar o Instagram, que é uma plataforma essencial para desportos desde as épocas de 2016-2017, fornecendo interação aos 1000 torcedores de cada vez, em comparação com outras plataformas. Como exemplo, o Manchester United alcançou mais de 26 mil interações por cada 1000 utilizadores durante a temporada de 2016/2017, em comparação com as 4429 interações por 1000 torcedores no Facebook.

2 – O crescimento de conteúdo de marca
13% dos valores dos canais do top 26 dos clubes europeus veio de conteúdos de marca, com o Facebook a ter o maior impacto do que qualquer outra plataforma. Algumas das maiores campanhas incluíram a live no Facebook do Bayern Munich em parceria com a Allianz Deutschland como parte da campanha #FCBDay1. Mas este não é motivo para dizer que outras redes sociais não podem fornecer excelente conteúdo de marca. Outro caso é o do Youtube do Manchester City, com a campanha “Inside City” patrocinada pela Nissan, enquanto que o line-up da equipa era anunciada em parceria com a Hays Recruitment, um time perfeito para uma equipe que se preocupa com a seleção dos melhores candidatos para uma determinada posição.

3 – A oportunidade de uma parceria
Durante um evento esportivo ao vivo, pode ser um desafio ter uma equipe a postos para postar nas redes sociais todos os acontecimentos, mas um clube pode aumentar as suas hipóteses de exposição para patrocinadores através de alguns posts modelos. Os modelos gráficos podem estar pré-preparados para serem postados o mais rápido possível após as novidades, sejam os line-ups, os gols, substituições, os intervalos e outros. Estes modelos são ideais para o manter informado sobre os pontos altos de um determinado jogo, o que é uma ferramenta bastante essencial para os apreciadores de apostas no futebol, onde utilizadores de jogos de apostas como a Spin Palace Sports, procuram um resumo dos vários jogos que estão a seguir no momento das suas apostas.

4 – Quais marcas vão ser ativadas mais eficazmente?
É sempre interessante ver quais os valores gerados a partir de conteúdo de marcas, e não podemos esperar para ver os valores deste ano. Em 2016/2017, os conteúdos mais cobertos incluem roupa esportiva, indústria automóvel, companhias aéreas e seguradoras. Duas das maiores empresas que são incluídas nos conteúdos patrocinados nas redes sociais incluem a Adidas e a Nike.