A mídia e o Flamengo: dois pesos e duas medidas?