Até o momento, os dois centroavantes têm números muito parecidos. Ambos foram artilheiros e campeões de seus respectivos campeonatos estaduais. Com eles em campo, suas equipes têm exatamente o mesmo aproveitamento: 80,39% - Fla e Galo venceram 13 vezes, empataram duas e perderam outras duas. Equilíbrio à flor da pele. ​Não à toa, ambos apareceram na nossa seleção de todos os estaduais.

Nos números individuais, o camisa 9 do clube mineiro leva pequena vantagem. São 16 gols só nesta temporada, quatro a mais do que o peruano. Também o supera em assistências: 4 a 1. A comparação é tão acentuada que até mesmo os torneios disputados nestes primeiros meses foram exatamente os mesmos: estadual, Primeira Liga, Copa Libertadores e Copa do Brasil. Agora, também, o Brasileirão. Para coroar de vez o exuberante momento que vivem os dois goleadores.

​​