| Futebol

Após idas e vindas, Paulo Victor enfim se sente titular: "Nunca pensei em sair"

Goleiro festeja conquista da vaga após a chegada de Vanderlei Luxemburgo, lembra dificuldades pelo caminho e avisa que não vai pedir para voltar a vestir a camisa 27

 

Foram anos de espera até este momento. Revelado nas categorias de base do Flamengo, Paulo Victor sempre sonhou em ser o goleiro titular do Rubro-Negro. Até sentiu esse gostinho algumas vezes nos últimos anos, mas quase sempre por causa de ausências temporárias de Felipe. Com a recente chegada do técnico Vanderlei Luxemburgo, no entanto, o panorama mudou. Barrado, o antigo titular é hoje o terceiro goleiro e tem futuro indefinido no clube. Do outro lado da gangorra, o camisa 48, enfim, festeja. E avisa: nunca pensou em sair do Fla.

Foi na temporada 2012 que o goleiro chegou perto de se sentir titular. Entrou no time porque Felipe pegou dengue e, devido às boas atuações, foi mantido pelo então técnico Joel Santana mesmo com o retorno do camisa 1. A alteração durou apenas alguns meses. Após a contratação de Dorival Júnior, Paulo Victor resistiu por algumas partidas. Mas logo o novo treinador optou pelo retorno de Felipe alegando que o Flamengo precisava de mais experiência em campo diante da situação complicada no Campeonato Brasileiro.

Paulo Victor Treino Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)Paulo Victor no treino da última quarta-feira: goleiro enfim se sente titular do Flamengo (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)


- Acredito que sim (sobre ser titular de fato). Mas não foi fácil. É preciso ter equilíbrio para seguir trabalhando. Tem que ter paciência. Não tenho outra opção. Não jogo de lateral nem de meia. Só no gol mesmo. E goleiro só joga um. É preciso saber esperar o momento e sempre trabalhar para agarrar a oportunidade quando ela aparecer. Graças a Deus tenho recebido o carinho dos torcedores. Por ser cria da base e também pelas atuações, acredito. Isso me deixa muito feliz porque nunca pensei em sair do clube justamente por causa desse carinho - frisou o jogador, que tem 61 partidas pelo Rubro-Negro.

Perguntado sobre sua relação com o antigo titular e se já havia conversado com ele depois das mudanças, Paulo Victor não mostrou muito entusiasmo. Mas deixou claro que nunca se deixou abalar quando foi ele a sair do time.

- Conversamos no dia a dia dentro do trabalho. Claro que a vontade de todos é estar jogando, mas temos que nos respeitar sempre. Não podemos ficar tristes com isso. Essa situação serve para todo mundo. O que aconteceu com ele (Felipe) já aconteceu comigo também. Já voltei para o banco depois de ser titular, é natural do futebol. Agora eu penso no futuro, em buscar uma chance na Seleção. Pensar em perder a posição é pensar negativamente. Agora que estou vivendo coisas boas não vou pensar em coisas ruins - garantiu.

Paulo Victor (Foto: Divulgação)Paulo Victor passou a usar o número 48 após ceder o 27 a André Santos no ano passado (Foto: Divulgação)

Nada de camisa 27 outra vez

Acostumado a vestir a camisa 27 em seus sete primeiros anos no Flamengo, o goleiro cedeu a numeração a André Santos em 2013 em troca de ajuda a um projeto social. Com a saída do lateral-esquerdo, que negocia um acordo com a diretoria para a rescisão de seu contrato, o novo titular já avisou que não pretende voltar ao antigo número.

- Não vou vestir mais a 27. A troca com o André na época foi por uma doação para um projeto social. Cedi e resolvi homenagear os 48 anos da minha mãe com o novo número. Agora é mais fácil eu trocar pela 49, porque ela já fez aniversário (risos) - brincou.

Com Paulo Victor no gol novamente, o Flamengo volta a campo no próximo domingo para enfrentar a Chapecoense, às 16h (de Brasília), na Arena Condá, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro. Um triunfo pode representar a saída do Rubro-Negro da zona do rebaixamento.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.