Após ter a Ilha aprovada, Fla já pensa em novo pedido excepcional a Conmebol caso não tenha recurso aceito

Após ter a Ilha aprovada, Fla já pensa em novo pedido excepcional a Conmebol caso não tenha recurso aceito

O Flamengo prepara para esta sexta-feira o envio do recurso para a Conmebol com o propósito de diminuir a pena de dois jogos com portões fechados na Libertadores para apenas uma partida. Caso não seja atendido, o clube pretende protocolar um novo ofício pedindo que a Ilha do Urubu seja liberada para o segundo jogo no Rio de Janeiro, assim como foi para o primeiro compromisso, diante do River Plate.

Nesta sexta-feira, o presidente Eduardo Bandeira de Mello, presente no Ninho do Urubu, comentou a decisão de quinta que liberou o estádio apesar das arquibancadas tubulares, proibidas em regulamento.

- Se mantiverem a punição vamos pedir novamente a liberação da Ilha em caráter excepcional para o segundo jogo. Temos uma arquibancada de concreto para cinco mil pessoas além das tubulares. Sem torcida, não tem motivo para não liberar - disse o presidente, em conversa com a reportagem.

O Flamengo, através de seus advogados, recebeu a argumentação do Tribunal Disciplinar sobre a punição inicial, e vai enviar recurso ao Tribunal de Apelação da Conmebol. O julgamento e a resposta não devem sair a tempo do jogo de estreia. Mesmo assim, o clube deve solicitar audiência para apresentação, já que pretende reduzir a pena pelo menos para um jogo e usar o Maracanã ou o Nilton Santos a partir de então na Libertadores.