| Futebol

Bandeira enumera erros contra o Fla para rebater benefício da arbitragem

Presidente cita partidas contra Bahia, Goiás, Corinthians (no Pacaembu) e Internacional, nas quais julga que o time foi prejudicado, para rechaçar favorecimento

As polêmicas envolvendo a arbitragem em jogos do Flamengo viraram assunto recorrente no clube. O empate por 2 a 2 contra o Palmeiras, na última quarta-feira à noite, no Pacaembu, fez o debate voltar à tona. Os paulistas reclamaram um toque de mão de Eduardo da Silva no segundo gol do Fla (confira o lance no vídeo ao lado), marcado por Alecsandro, e de um pênalti não marcado em Henrique, em disputa de bola com João Paulo. O árbitro Anderson Daronco não viu irregularidade em nenhum dos lances.

Para isentar o Fla, Vanderlei Luxemburgo comparou o que viveu com o Corinthians, quando treinava o time em São Paulo e ouvia críticas sobre "apito amigo". Depois de o comandante negar favorecimento e se mostrar temeroso pelo fato de o Fla ficar marcado nesse sentido, o presidente Eduardo Bandeira de Mello também saiu em defesa do Rubro-Negro.

Bandeira de Mello, presidente do Flamengo (Foto: Marcelo Hazan)O presidente do Fla rechaça que o time esteja sendo beneficiado pela arbitragem no Brasileirão (Foto: Marcelo Hazan)


O mandatário enumerou partidas nas quais julga que o time saiu prejudicado para rebater a teoria de que o Flamengo é beneficiado pela arbitragem. A polêmica ganhou força depois da vitória por 3 a 0 sobre o Coritiba, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, em que a equipe teve um pênalti inexistente marcado a seu favor. Na sequência, em nova vitória, dessa vez diante do Corinthians, Wallace fez gol em impedimento e outro pênalti polêmico foi marcado, após chute de Everton com desvio no braço de Fagner.

É só olhar o contexto do campeonato. O jogo do Bahia, o do Goiás, contra o Corinthians, no Pacaembu, em que o Léo Moura foi expulso injustamente no primeiro tempo (...) Os árbitros erram para todos os lados
Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Fla

- Não acredito nisso. É só olhar o contexto do campeonato. O jogo do Bahia, em Macaé, o do Goiás, o próprio jogo contra o Corinthians, no Pacaembu, em que o Léo Moura foi expulso injustamente no primeiro tempo. Contra o Internacional o Chicão foi expulso no primeiro tempo e ainda foi marcado um pênalti inexistente. Os árbitros erram para todos os lados. Contra o Palmeiras, ele terminou o primeiro tempo com o Eduardo da Silva correndo com a bola livre no campo de ataque. Certamente ele faria o terceiro gol, e o árbitro resolveu parar o jogo ali. O Canteros levou amarelo e está fora do Fla-Flu, mas nem falta foi. Os erros são normais - disse o presidente.

Polêmicas à parte, Bandeira diz esperar um jogo imprevisível contra o Fluminense, no clássico de domingo, às 16h (de Brasília), no Maracanã.

- O Fluminense perdeu (para o Vitória), mas está muito bem. Com seis pontos na nossa frente (o Fla é o 10º lugar, com 29 pontos, e o Flu está em quinto, com 35). Vamos dar tudo para ganhar deles - afirmou.

Alinhado com o discurso de Vanderlei Luxemburgo, o presidente, por fim, confirmou que o principal objetivo do Flamengo no Brasileirão é se ver livre da "confusão", nome dado pelo treinador para a zona de rebaixamento. Primeiro time dentro do Z-4, o Botafogo tem 22 pontos, sete a menos do que o Rubro-Negro.

 

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.