| Futebol

Bate-papo do Nação com Póvoa e Vido

Sócios-torcedores conversam com Vice-Presidente e Diretor Executivo de EEOO

Na noite da última segunda-feira (09.03) a Gávea recebeu os sócios-torcedores ganhadores da ação Bate-papo do Nação. Os membros do Nação Rubro-Negra tiveram a chance de conversar com Alexandre Póvoa, Vice-Presidente de Esportes de Olímpicos, e com Marcelo Vido, Diretor Executivo da pasta, para esclarecer suas dúvidas sobre a gestão do clube.

Se você ainda não é sócio-torcedor e quer poder fazer parte de ações como estas, clique aqui e se torne agora mesmo membro do Nação Rubro-Negra. Você ainda pode contar com descontos exclusivos e com a facilidade do cartão ingresso.

Enquanto conversavam, todos os presentes dividiam suas atenções entre o encontro e o resultado da semifinal da Liga de Desenvolvimento de Basquete (LDB), onde o Flamengo enfrentava o Limeira buscando a classificação para a final da competição. Mesmo com a tensão no ar à espera do do resultado, Vido e Póvoa falaram sobre temas polêmicos como a construção da arena da Gávea, o desenvolvimento de outros esportes no clube e o estabelecimento de parcerias na expectativa do surgimento de novos talentos. Confira mais detalhes sobre o bate-papo:

Evolução dos Esportes Olímpicos do Flamengo
(Alexandre Póvoa) Antigamente, o orçamento dos Esportes Olímpicos do clube era algo em torno de R$17M. Hoje, em 2015, temos uma verba que é mais do que o dobro que era, cerca de R$35M, e sustenta todas as despesas correntes dos EEOO do Flamengo.

Ainda assim, o basquete rubro-negro, que é Campeão do Mundo, continua dependente de leis de incentivo do esporte. Trabalhamos dia após dia para não criar gaps e preencher todos os nossos gastos com leis e patrocínios, objetivando tornar o setor olímpico algo seguro financeiramente falando, e não um castelo de cartas que a qualquer momento pode ruir. Além disso, queremos igualar os outros esportes à evolução que o basquete alcançou.

Criação do Handball e outros esportes
(Marcelo Vido) Antes de mais nada, batemos de frente com um simples problema de espaço físico, que nos impede de expandirmos nossos trabalhos para outros esportes.

Sim, pensamos em ter outros esportes, mas depende de muito mais do que apenas criar. Precisamos, além do espaço, de verbas para salários e desenvolvermos uma base segura. Antes de pensarmos em algo novo, temos de melhorar ainda mais tudo o que temos. Um trabalho se começa de baixo, a partir dos garotos. 

Ginásio da Gávea
(Alexandre Póvoa) Não temos uma expectativa de prazo. Estamos parados há quase um ano, sem movimentação nisso. Temos de começar a nos movimentar politicamente para esse processo andar. Da nossa parte, está tudo pronto. Almejamos que isso ande até o meio do ano e que até o fim de 2016 esteja tudo certo, mas estamos no Brasil e não podemos prever nada disso.

Formação de base
(Marcelo Vido) Estamos avaliando parcerias que possam ser interessantes para nossas categorias de base com clubes do Rio de Janeiro para suprir nossas carências em todos os esportes. Além disso, concluímos a necessidade de dar uma educação, não só aos garotos da nossa base, mas também aos seus pais, com relação ao nosso compromisso de formar atletas. Isso propõe alguns sacrifícios e precisamos colocar seriedade nisso para colher frutos. Temos também de criar escolinhas, vender o Flamengo por aí e estamos trabalhando nisso. Isso tudo ajudará as nossas categorias de base a serem sempre mais fortes.

Final Four da Liga das Américas
(Alexandre Póvoa) Essa edição está mais forte do que a do ano passado, quando fomos campeões. A razão de termos sido escolhidos foi simplesmente oferecermos uma estrutura de primeira linha. 

Não será uma disputa fácil. Esperamos sair campeões, mas teremos de trabalhar duro para isso. 

Fonte: http://flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/20629/bate-papo-do-nacao-com-povoa-e-vido

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.