| Futebol

Batizado com nome rubro-negro, Beto completa 40 anos

No dia de seu aniversário, ex-jogador relembra grandes momentos pelo Flamengo e agradece a Zagallo: "Me ajudou muito"

Beto foi capitão da conquista do Tri em 2001

Beto foi capitão da conquista do Tri em 2001

Capitão do tricampeonato estadual em 2001 e da Copa dos Campeões do mesmo ano, o ex-jogador Beto tem muita história para contar de sua trajetória no Flamengo. Mas, no dia em que completa 40 anos, o matogrossense conta que sua relação com o Flamengo começou desde que seu pai escolheu seu nome: Joubert Araújo Martins.

"Meu pai é flamenguista e gostava muito do futebol do Joubert, que foi jogador do clube e depois treinador. A inspiração para me batizar foi nele mesmo", disse Beto. No ano do nascimento do ex-jogador, Joubert era o técnico do Flamengo e havia sido campeão carioca recentemente (22.12.1974), revelando Zico e Junior. Foi o primeiro título do Galinho como titular pelos profissionais.

Beto também lembra de uma grande personalidade rubro-negra que foi essencial para ele se firmar no meio de campo do Flamengo, o Velho Lobo, que treinou o meia no Mais Querido, mas já trazia laços profissionais de outros carnavais. "O Zagallo é uma pessoa que me ajudou muito, desde a época do Botafogo, quando fui convocado para a Seleção pela primeira vez. Ele conversava bastante comigo, me deu força para chutar de fora da área, as coisas foram acontecendo e fui me destacando com os chutes e as cobranças de longa distância. Zagallo foi muito importante para mim, como pessoa e profissional", elogiou.

Capitão do Tri Estadual
Com Gamarra suspenso para a inesquecível final do Carioca de 2001, contra o Vasco, Beto ganhou a braçadeira de capitão. Depois de um jogo eletrizante e daquele gol de Petkovic, aos 43 minutos da etapa complementar, eternizado por cada um dos 40 milhões de rubro-negros, o ex-jogador pôde levantar o troféu do tricampeonato estadual (1999-2000-2001). "Foi um dos momentos mais marcantes para mim. Por ser capitão do Tri, pelo Flamengo, em um jogo decisivo, ainda mais contra o Vasco. Lembro muito da semana de preparação, em que a expectativa era que o Pet nem jogasse a partida. Mas ele acabou entrando em campo e fazendo o gol do título. Para todos, não íamos conseguir, mas o grupo se fechou, a torcida compareceu em massa, e fomos campeões", lembra.

A segunda taça em 2001
Outro de seus 177 jogos pelo Rubro-Negro também é impossível esquecer. Na primeira partida da final da Copa dos Campeões, contra o São Paulo, Beto marcou um dos gols da vitória por 5 a 3 sobre a equipe paulista - e um de seus 32 marcados pelo Flamengo. No jogo de volta, o adversário venceu por 3 a 2, mas o título já tinha destino certo. "Foi uma jogada em que invadi a área e chutei de primeira. Joguei pelo São Paulo um período em 2000 e logo no ano seguinte já venci o mesmo time e levantei mais um troféu naquele ano", contou.

Fonte: http://www.flamengo.com.br/site/noticia/detalhe/20170/batizado-com-nome-rubro-negro-beto-completa-40-anos

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.