| Futebol

Botafogo usa força máxima e vence o Flamengo no sexto clássico do ano

Rubro-negro entra com time misto, depois usa titulares, mas não evita derrota por 2 a 0

Foi um prêmio à insistência o que se assistiu neste domingo, no Estádio Nilton Santos. A teimosia de Roger, por exemplo, foi recompensada: após perder duas chances claras no primeiro tempo, compensou com dois gols após o intervalo, definindo o placar de 2 a 0. A vitória, enfim, sorriu para o Botafogo, no sexto clássico contra o Flamengo neste ano.

Sem vencer o rival rubro-negro desde 2015, o Botafogo encarava com afinco a partida deste domingo. Ao contrário de Reinaldo Rueda, que encheu a escalação de reservas, Jair Ventura não poupou ninguém para o jogo de quarta contra o Grêmio, pela Libertadores. O termômetro do time, curiosamente, foi um jogador que acumulava atuações apagadas e só ganhou chance pela lesão do titular João Paulo: o chileno Leo Valencia.

Valencia movimentou-se bastante pelos dois lados do ataque e incomodou muito a defesa do Flamengo. Aos 18, pela direita, cruzou para Roger se livrar de Rodinei na matada de bola e chutar com perigo. Aos 34, pela esquerda, descolou novo cruzamento preciso para Roger. O atacante cabeceou para baixo, como manda o manual, e Diego Alves fez excelente defesa.

Era visível, por sinal, que o Flamengo tinha mais segurança no gol com o retorno do titular, que não está inscrito na Copa do Brasil. Aos 18, quando foi pressionado na saída de bola, aplicou um drible frio e desconcertante em Matheus Fernandes, que levou as mãos à cabeça, incrédulo. O lance originou um contra-ataque nos pés de Everton Ribeiro, que foi derrubado na entrada da área. Guerrero cobrou a falta no ângulo e Gatito Fernandez voou para defender. No segundo tempo, o goleiro do Botafogo voltaria a brilhar em chute de Everton Ribeiro. Se o clássico fosse decidido pelas atuações dos goleiros, daria empate.

Mas nem tudo depende só de quem guarda a meta: há lances que estão além do alcance. Como no primeiro gol do Botafogo, aos 10 minutos da etapa final. Valencia cobrou escanteio, Igor Rabello subiu mais que Cuéllar e Diego Alves se esticou todo para ver a bola tocar na trave. Caído, nada pôde fazer para conter Roger, que aproveitou o rebote e fez 1 a 0.

Rueda tentou injetar ânimo no Flamengo, tirando o apático Geuvânio para a entrada de Berrío. E o time rubro-negro até viu seu volume ofensivo crescer. O problema é que Leo Valencia continuava imparável. Aos 23, o chileno viu pela direita uma rara ultrapassagem de Bruno Silva, que tinha mais atribuições defensivas devido à ausência de Rodrigo Lindoso no meio-campo. E Valencia aproveitou a chance: serviu o companheiro, que cruzou rasteiro para Roger fazer o segundo.

Quando Leo Valencia finalmente cansou, Fernandes entrou para dar segurança defensiva ao Botafogo nos dez minutos finais. Nas mexidas restantes, com as entradas de Willian Arão e Everton nos lugares de Rômulo e Matheus Sávio, Rueda passou a ter seu time titular do meio-campo para frente. Ainda assim, o Flamengo não conseguiu ser incisivo e levar mais perigo ao gol de Gatito.

FICHA DO JOGO: BOTAFOGO 2 X 0 FLAMENGO

Botafogo: Gatito Fernandez, Arnaldo, Marcelo, Igor Rabello e Victor Luís; Bruno Silva, Matheus Fernandes, Leo Valencia (Fernandes) e Leandrinho (Dudu Cearense); Pimpão (Guilherme) e Roger.

Flamengo: Diego Alves, Rodinei, Rhodolfo, Rafael Vaz e Trauco; Rômulo (Willian Arão), Cuéllar, Éverton Ribeiro, Geuvânio (Berrío) e Matheus Sávio (Everton); Guerrero.

Gols: 2T: Roger aos 10 min e aos 23 min.

Juiz: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)

Cartões amarelos: Não houve.

Público pagante: 5.155

Renda: R$ 288.010,00

Local: Estádio Nilton Santos

Fonte: https://oglobo.globo.com/esportes/botafogo-usa-forca-maxima-vence-flamengo-no-sexto-classico-do-ano-21806556

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.