#BuzzaFla - A volta de Julio Cesar

#BuzzaFla - A volta de Julio Cesar
Hoje é dia de reencontro. Julio Cesar volta ao Flamengo depois de quase quatorze anos. A partida que marcará a resstreia será no campo de sua última atuação com o Manto Sagrado, o Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Separamos 10 curiosidades sobre o goleiro ídolo da Nação para vocês conferirem abaixo. Bem-vindo de volta, Julio Cesar!

1) O começo 

Julio Cesar chegou ao Flamengo em 1992, com 13 anos de idade, depois de brilhar no Grajaú Country Club. Em seu primeiro teste, apesar de levar muitos gols, o jovem foi aprovado porque os olheiros sabiam que estavam diante de alguém especial. E não se enganaram. Julio Cesar virou ídolo da Nação logo quando estreou. Sempre foi diferenciado. 



2) A primeira vez

Julio Cesar entrou em campo com os profissionais pela primeira vez em um clássico nacional. O adversário era o Palmeiras, a competição era a Copa do Brasil, o campo era o Parque Antárctica e a missão era substituir a lenda Zé Carlos, que havia se machucado. Missão dada, missão cumprida. Julio fechou o gol e o Flamengo saiu com a vaga na semifinal da competição. 

3) Pênaltis
Especialista em pênaltis. Quando um cobrador ia para enfrentar Julio Cesar, o gol passava a ter centímetros. Pela seleção ou pelo Flamengo, JC era um terror diante do adversário. E logo em seu segundo jogo, o primeiro saindo como profissional, ele já mostrou sua qualidade, pegando a cobrança de Ronald. Em 2001, classificou o Flamengo para a final da Mercosul ao pegar duas cobranças gremistas no Olímpico. Na Taça Guanabara do mesmo ano, também pegou outro do Fluminense, ajudando o time a levantar o caneco. 



4) A primeira taça

Julio Cesar conquistou seu primeiro título na Copa dos Campeões dos Campeões Mundiais, em 1997. O jogo foi disputado no Mané Garrincha, em Brasília, e com um gol de Iranildo, o Mengão levantou a taça na vitória sobre o São Paulo. Grêmio e Santos também faziam parte da competição. O time da final foi Julio Cesar, Maurinho, Junior Baiano, Fabiano e Gilberto. Jamir, Evandro Jorginho e Fabio Baiano. Lucio e Iranildo.


5) Longevidade

Mesmo com tantos anos fora, Julio Cesar ainda é dono de números impressionantes com o Manto Sagrado. É o terceiro goleiro que mais jogou pelo Flamengo, atrás apenas de Zé Carlos (352) e Cantarelli (557). Foram 284 partidas, com 122 vitórias, 70 empates e 92 derrotas. A última partida de Júlio pelo Fla foi no dia 19/12/2004 (6x2 Cruzeiro, Brasileiro).

6) Sempre Flamengo

Sua ligação com o Falmengo sempre foi gigantesca. Mesmo longe, queria saber o que se passava no clube de coração. Após a final da Copa das Confederações de 2009, a seleção havia acabado de consquistar o título e no meio da comemoração, o goleiro ligou para a família e perguntou "como tá o Flamengo?". Era dia de Fla-Flu, pelo Campeonato Brasileiro. A partida terminaria empatada em 0x0, mas sua família apenas disse "vai celebrar sua conquista aí". 


7) A camisa 12

Julio usará um Manto especial em sua volta. O número 12 estava aposentado, em homenagem à torcida. O goleiro pediu, o clube atendeu. Como se trata de um ídolo da Nação, nada mais justo. A camisa de "desaposentada" e somente ele terá o direito de usá-la, até o fim da carreira. 


8) Do Raulino ao Raulino

O palco da volta de Julio Cesar hoje ao gol do Flamengo já foi o de sua despedida. Em 2004, na última rodada do Campeonato Brasileiro, o goleiro atuou na goleada de 6x2 sobre o Cruzeiro. O clube, naquela época, passava por momentos turbulentos e Julio decidiu que seguiria carreira na Europa, mais precisamente na Inter de Milão. Quis o destino, e essas coisas do futebol, que ele reencontrasse a Nação exatamente no campo onde se despediu. 

9) O tri de 2001

São três campeonatos estaduais na galeria. O primeiro, porém, foi como goleiro reserva de Clemer. Um ano depois, ele foi umd os principais responsáveis por aquela conquista histórica. Sim, todos lembram do gol magico de Petkovic. Mas se não fosse Julio Cesar ali atrás, o Vasco teria empatado. Juninho, Euller, Viola, todos pararam nas mãos do goleiro, a última barreira diante da glórica vascaína. No final, ele não perdeu a chance de convidar os rivais para a comemoração, com uma pessoa em especial. 


10) E obrigado

Julio Cesar é um ídolo e está de volta. Mesmo que por um breve período de tempo, será sempre um prazer ter o craque de volta ao gol rubro-negro. Hoje, contra o Boavista, será sua primeira partida. Transmissão da Globo e do Premiere, para quem não for ao estádio. Matar a saudade de um ídolo é sempre bom e de um goleiro tão especial, é melhor ainda. Obrigado por tudo, Julio Cesar! Veste o Manto e seja feliz, camisa 12.