| Futebol

Caetano vê Flamengo ‘protagonista’ mesmo sem título: ‘A autoestima foi resgatada’

flameng - Caetano vê Flamengo ‘protagonista’ mesmo sem título: ‘A autoestima foi resgatada’

Foram 116 dias fora do Rio, longe das famílias, em viagens que, somadas, comprometeram 47 sessões de treinamento. Mesmo assim, o Flamengo terminou 2016 na briga pelo título brasileiro. Em seu segundo ano na liderança de 500 funcionários do clube, o diretor executivo Rodrigo Caetano conseguiu superar um início de temporada de questionamentos e fez o departamento de futebol funcionar sem casos de indisciplina, com um elenco, segundo ele, digno de representar as cores do Flamengo e torná-lo, novamente, “protagonista”.

— Aqui no Brasil só se exalta o campeão, se esquece do segundo ou terceiro, o quanto foi difícil uma campanha. A autoestima foi resgatada. Viajei e vi que os torcedores se viram representados nesse grupo. Independentemente do jogo do Atlético-PR, vale ressaltar a grande campanha, apesar de não termos sido campeões — disse o dirigente em entrevista coletiva no Ninho do Urubu.

Caetano liderou o dia a dia no Ninho do Urubu mesmo com o erro de planejamento da diretoria, que não encontrou uma casa para jogar no Rio no início da temporada. Inibiu questionamentos e manteve o grupo motivado. Embora no decorrer das campanhas eliminações tenham ocorrido, o saldo, segundo ele, foi positivo.

— Tem que exaltar e valorizar a campanha no Brasileiro. Não iniciamos bem o ano, a gente ia fazer investimentos no decorrer do período. O orçamento previa, e temos um rigor. A gente conseguiu voltar a ser protagonista. Flamengo foi um dos clubes que não demitiu treinador. Tem resultado do trabalho iniciado pelo Muricy Ramalho. Zé Ricardo e Jayme deram continuidade. Números do Brasileiro foram excelentes, com recorde de pontos nos pontos corridos, por detalhes ou outros motivos o título não veio esse ano. Mas esses títulos estão mais próximos do que distantes. Houve uma doação muito grande — ressaltou.

O dirigente agradeceu a jogadores e funcionários por conta da dedicação no ano atípico. Mesmo com o dobro da quilometragem percorrida em relação a outros clubes, foram poucas lesões.

— Tivemos inúmeros avanços. Apenas seis problemas musculares, número baixíssimo nessa maratona. Espero que o torcedor reconheça isso.

Fonte: http://extra.globo.com/esporte/flamengo/caetano-ve-flamengo-protagonista-mesmo-sem-titulo-autoestima-foi-resgatada-20573933.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.