| Futebol

CALCANHAR DE AQUILES

VIRAMOS FREGUESES?

Caros amigos, mais uma vez nos deparamos com o Atlético-MG e passamos por mais uma humilhação, fato que está se tornando corriqueiro nos últimos jogos.

E para ser ainda mais devastador, foi outra goleada de 4x1.

Quando tudo parecia que caminhávamos para carimbar nosso lugar no G4, fizemos um papel lastimável diante de mais de setenta mil torcedores em Brasília. Jogo que era quase uma obrigação para quem realmente desejava assegurar uma vaga na próxima Libertadora.

Até porque, o jogo que viria em sequência era o Atlético-MG em seus domínios e aí uma derrota não seria nenhum absurdo. Todavia, não passava em nenhum momento nos meus pensamentos que seríamos goleados mais uma vez.

Começamos o jogo com bom toque de bola, envolvendo o Galo e jogando de igual para igual. Até que aconteceram para mim alguns absurdos. Primeiro, o goleiro atleticano teria que ter sido expulso, pois era o último homem no lance e ele decidiu trocar o gol certo pela falta; Segundo, até o momento não vi nenhuma explicação para que o Guerrero não fosse o jogador que bateria a penalidade, não é ele que é o cobrador oficial do Peru e não é ele o nosso principal jogador e consequentemente seria o jogador a ter essa responsabilidade? Terceiro, Porque o Alan Patrick bateu aquele pênalti de forma tão displicente, telegrafando o lugar que iria bater, onde até eu sabia que o Vitor sempre pula para aquele lado?

Na sequência desta penalidade desperdiçada, passamos a ver um verdadeiro show de horrores. Nossa defesa, que neste campeonato, é o nosso calcanhar de Aquiles passou a cometer os velhos erros inaceitáveis.

O Marcelo fez um gol contra em um cruzamento banal e despretensioso.

Quando pensei que iríamos recuar, para minha surpresa continuamos jogando bem e praticamente na sequência empatamos a partida. Mas foi um mero engano.

Samir, que para muitos é nosso melhor zagueiro e com futuro promissor, não conseguiu marcar uma única bola alçada na área que fosse em sua direção e o zagueiro Jemerson ao perceber isso fez dois gols e por muito pouco não fez o terceiro dele, bastava ter um pouco mais de habilidade com os pés.

Para coroar a bela partida que estava fazendo, Dátolo fez uma jogada maravilhosa em cima do Pará, onde culminou num lindo gol, fechando assim nosso caixão.

Daí foi só esperar o final do jogo aos gritos de olé.

Espero que no próximo jogo, que será contra um Vasco embalado e animado por não ser derrotado a quatro jogos, Oswaldo consiga novamente dar um mínimo de organização defensiva fazendo com que não nos tornemos freguês de mais um adversário que tem muita sede vitória contra a gente e com isso voltemos a brigar por essa vaga no G4. Pois isso agora é a única coisa que nos resta.

Saudações Rubro-Negras!

Mengão Sempre!  


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.