Carpegiani diz que Flamengo pagou preço por cansaço de jogadores

Carpegiani diz que Flamengo pagou preço por cansaço de jogadores

O técnico do Flamengo, Carpegiani, atribuiu o empate com o River na estreia da Libertadores aos erros de arbitragem e ao cansaço dos jogadores pela exigência da partida. Segundo o treinador, o volante Jonas e o atacante Everton pediram para sair de campo, pois estavam exaustos. Por isso, entraram Rômulo e Arão, recuando o time quando o River atacava quando perdia por 2 a 1.

ANÁLISE: Empate amargo obriga Flamengo a pontuar fora do Rio na Libertadores

— Fui obrigado a fazer as substituições. Ainda bem que eu trouxe o Rômulo e o Arão. Não tive preferência — alegou o técnico, completando:— Os jogadores pediram para sair, não aguentavam mais. Jonas com câimbra. Everton no final também pediu. Fica sem condições de fazer o que queria fazer em princípio. Pensei no Vinicius, mas estava preocupado com a pausa que demos após o segundo gol. E em função do adversário que partiu com tudo pelo empate. Ficamos um pouco sem opção — justificou.

Carpegiani lamentou ainda o jogo sem torcida e não ter tido a chance de usar a formação titular em mais oportunidades. Chegou a reclamar de o Fla-Flu da Taça Rio acontecer em Cuiabá.

— A única oportunidade de usar esse time foi no Fla-Flu. Não sei porque foi levado para lá fora. Pensaram um outro lado, financeiro. No que diz respeito ao meu cargo optamos por não levar o time por causa desse jogo de estreia. Foi a única vez que eu não usei essa equipe — disse Carpegiani, que depois tentou se corrigir e negar críticas á escolha dos clubes.

— Mas não estou reclamando disso não. Quis me expressar que essa equipe tem que jogar. A prioridade é dar sequencia. Mesmo que um ou outro seja poupado.

O empate em 2 a 2 com o River foi tratado como derrota. Mas a postura da equipe, aguerrida, acabou elogiada. Apesar de a bola fatal no chute de Mayada no fim frustrar os planos.

— Fizemos um primeiro tempo disputado. Não se pode errar um impedimento claro como o gol de empate deles. Sabor de derrota. Pagamos o preço. Vamos buscar fora — finalizou o comandante.

Carpegiani finalizou destacando que quer colocar o time para jogar. A próxima chance é no sábado contra o Botafogo. A próxima partida na Libertadores é contra o Emelec.

— Temos um jogo só com a nossa torcida. O que necessita essa equipe é jogar. Para não ter esses inconvenientes no final, pela parte física, necessitando de substituições. Jogamos seis vezes juntos. A equipe precisa jogar. Vamos desligar a chave agora. Temos jogo importante contra o Botafogo. Depois o Emelec será decisivo e com obrigação de ganhar — avisou o treinador.