A defesa do centroavante, contudo, segue atenta e ainda vai tentar anular a punição. O entendimento é que há um precedente de absolvição por contaminação acidental, supostamente o caso de Guerrero:

– FIFA só nos notificou da pena reduzida para seis meses até agora. Até sexta-feira entregam a fundamentação. Assim que recebermos vamos ao CAS para tentar anular a pena. Apresentamos basicamente os mesmos argumentos do primeiro julgamento – explicou Bichara Neto, advogado do atleta. 

– Mas lembramos a jurisprudência anterior no próprio CAS de casos de absolvição, como do tenista Richard Gasquet e, por isso, agora vamos tentar a anulação completa da pena – completou. 

​​