• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

CBF aprova aumento no número de inscrições de jogadores e adia debate sobre volta do público nos estádios

Na tarde desta sexta-feira (16), em reunião virtual, a CBF, após forte reivindicação dos clubes, aprovou o aumento no número de inscrições de jogadores no Campeonato Brasileiro. Em contrapartida, o debate sobre a volta do público nos estádios foi adiado.

A reunião contou com a participação do presidente da entidade, Rogério Caboclo, além de mandatários dos clubes e de federações estaduais. Ao final do encontro, ficou decidido que os times da Série A do Brasileirão poderão inscrever até 50 atletas. Lembrando que, antes o número era de até 40 inscritos. Em suma, a data limite determinada para novas inscrições foi dia 6 de novembro, com as substituições na lista podendo ser feitas até o dia 20 de novembro.

Com duas janelas neste ano em meio a pandemia do novo coronavírus, os clubes engatam contratações e esperavam a CBF alterar o regulamento para inscreverem novos jogadores. A janela de transferências internacionais abriu na última terça-feira (13), e permanecerá aberta até o próximo dia 9 de novembro.

Volta do público

Diferentemente da questão do aumento no número de jogadores inscritos, o debate sobre uma possível volta do público aos estádios foi rápido e nada foi resolvido. Se de um lado, os clubes de São Paulo defenderam na reunião que, por decisão do estado, torcedores não podem voltar a frequentar as arenas, o restante dos times, em sua maioria concordou que a discussão só deve ser levada em conta no momento em que todos os clubes puderem ter torcida.

Dono do da maior torcida do Brasil, o Flamengo já se mostrou favorável em debater tal tema. O presidente Rodolfo Landim já chegou a afirmar que, caso as medidas de seguranças sejam confiáveis, o Rubro-Negro defende a volta do público.

Como ainda não existe consenso das autoridades locais em relação ao retorno dos torcedores aos estádios, houve a sugestão do Presidente Rogério Caboclo, acatada pelo grupo, de manter o status atual e retomar a discussão dentro do prazo de até três semanas -, afirmou a CBF em nota

Publicado em colunadofla.com.