No entanto, o camisa 7 também caiu de rendimento, mas segue ao lado de Diego como grande esperança do Fla para conquistar a Copa Libertadores em 2018. Assim como a equipe no geral, decepcionou pelo alto investimento e pouco retorno. A ideia é que agora, com uma pré-temporada completa pela equipe carioca, seu desempenho melhore de maneira exponencial:

"A expectativa é muito boa para 2018 fazendo uma boa pré-temporada, começando já um ano junto com a equipe, nos entrosando ainda mais. Espero que esse 2018 seja muito melhor do que 2017", projetou em entrevista concedida há alguns dias.

A situação de Everton, no entanto, está longe de ser única ou até mesmo a mais calamitosa. Dentre os que vieram de outros países e pouco renderam estão jogadores dos quilates de Conca, Romulo, Rhodolfo e Geuvânio. Não à toa, a vontade maciça da diretoria é de que haja mudanças no elenco, na comissão técnica e até mesmo no departamento de futebol. O próprio presidente Bandeira de Mello, no entanto, é contra mexidas radicais.