| Futebol

Céu ou inferno?

Maracanã

No Flamengo é assim, sem meio termo, ou nos deparamos com o otimismo incontido ou logo nos mergulhamos no pior mundo do pessimismo. Final de temporada melancólico, eleição polemica no clube, logo depois promessas de uma boa equipe, de um time competitivo comandado pelo vitorioso treinador Muricý Ramalho. Porém, bastou uma semana sem um nome de respeito, para a casa cair, não somente no nosso FlamengoRJ, mas também nos demais espaços de relacionamento rubro-negro. Não vem ninguém, mais uma vez nos enganaram, a temporada está fadada ao fracasso e outros impropérios ao Presidente Bandeira e seus pares. 

Pois bem, bastou a contratação do Mancuello para os pessimistas voltarem a perceber o holofote no final do túnel. 

Estamos sim no caminho certo, a diretoria está no mercado, idas e vindas são naturais num momento como esse, as negociações são difíceis, o nosso numerário ainda não é dos mais volumosos, a crise atrapalha, o dólar está muito alto, mas temos esperanças que outras boas contratações acontecerão. O volante Marcelo Diaz está no foco da diretoria, ele quer vir, mais um zagueiro também está por chegar, os nomes também já estão na pauta, Donatti, Lolo e Maydana são os especulados da vez, outros nomes ainda poderão estar em sigilo. Já temos um esboço de bom time, que poderá melhorar ainda mais, além das contratações, na base vemos boas perspectivas, principalmente o volante Ronaldo que nos enche os olhos, jogador promissor, cabeça em pé, ótima saída de bola, bom passe e habilidade. 

Açodados, pessimistas, ansiosos, precipitados vamos dar um crédito de confiança ao nosso Flamengo!!! A TEMPORADA 2016 PROMETE!!!

 

Maracanã

Ontem o Presidente Bandeira de Mello declarou que o Flamengo estará buscando meios para administrar o Maracanã, confessamos que gostaríamos muito que o rubro-negro construísse a sua própria arena ou estádio, mas isso cremos estar mais longe ainda, desde a década de 1960 tomamos conhecimento que o Flamengo deveria construir o seu estádio, na Gávea quase impossível, questões políticas, envolvimento com a turma rica que mora ao lado e não pode ser incomodada. 

Disse o Presidente Bandeira, que espera o Marco Regulatório para encaminhar o processo, na ocasião não citou o Fluminense como um possível parceiro, o Flamengo deverá encarar a empreitada sozinho. 

Perspectivas de vermos outra vez um estádio popular, esperanças de uma segurança particular, sem a interveniência danosa da Polícia Militar, que insiste em encolher mais o estádio, em tempos de profissionalismo um tiro no pé. Expectativa de aumento da carga de ingressos, com a possível retirada de inúmeras cadeiras atrás dos gols e a criação de espaços com preços ao alcance das classes mais pobres, maioria absoluta da população. 

Segundo informações da mídia, o custo mensal para a manutenção do estádio é de cerca de 2 milhões e 800 mil Reais. Parcerias diversas, propagandas, abertura de lojas , eventos e show poderiam não só arcarem com  esta manutenção e até dar um pequeno lucro para o clube. O tal consórcio tinha perspectivas de lucros volumosos, talvez devido a esta ganância a questão não foi exitosa. O Governo do Estado já declarou  que não quer mais administrar o estádio, e uma nova licitação deverá ser feita, vamos aguardar os acontecimentos, o Flamengo estará na parada...

 

Ainda a polemica

Tínhamos absoluta certeza da celeuma que este tema traria para o nosso FlaRJ, discussões acaloradas sobre a complexa questão, cada um com seu ponto de vista. 

O contraditório dando as cartas nos debates, nada mais democrático, tradição que  sempre acompanhou as discussões  neste magnífico espaço de convivência Rubro-Negra. 

Todos os amigos com suas verdades, tantos os favoráveis a decisão da nossa direção , quando os que criticam a postura  do nosso Presidente Bandeira de Mello. 

Nossa opinião já foi exposta nos inúmeros embates do final de sexta-feira e durante o sábado todo.  Cremos que o Presidente precipitou-se, quando categoricamente afirmou durando todo o ano que passou , que o Flamengo não jogaria o Estadual com seu time principal. As razões foram expostas nas diversas  oportunidades  em que o tema foi abordado.  Será que não poderia haver uma consulta prévia ao nosso Departamento Jurídico, antes da pregação constante sobre que equipe apresentaríamos no esvaziado campeonato. 

Nada contra o Presidente Bandeira, entre pros e contras, cremos que ele tem um saldo muito positivo, até no futebol que foi o "calcanhar de aquiles" de sua primeira gestão, cremos que agora comece a entrar nos eixos, gostamos do início promissor em relação a tudo que envolve o nosso "carro chefe". 

Acreditamos que o tema ainda trará novas polemicas, com a palavra os amigos do FlamengoRJ.

 

Histórias Rubro-Negras

1976

Não ganhamos nenhum título, fomos vítimas das disputas de penais e do tal mata mata. Todavia, fizemos uma temporada muito boa, jogamos 84 jogos, vencemos 55 , empatamos 20 e apenas 9 derrotas, 172 gols assinalados e levamos 59 gols, um saldo de 113 gols, Zico o artilheiro maior com 52 gols, depois Luisinho Lemos com 40 gols, Caio Cambalhota com 16 gols, Tadeu com 11 e assim por diante, mais de 77 % de aproveitamento nos jogos disputados, chegamos a ficar 29 jogos seguidos sem nenhuma derrota. Perdemos no meio da caminhada o grande apoiador Geraldo, vítima de um choque anafilático numa simples operação de amídalas.

Muitas controvérsias em relação ao campeonato de pontos corridos ou o de mata mata, vencemos cinco brasileirões nesses regulamentos que incluíam o mata mata, mas também deixamos de ganhar alguns pelo mesmo motivo. Este ano de 1976 foi emblemático neste sentido, fizemos uma grande temporada, quase não perdemos e não ganhamos nenhum título. Numa disputa de pênaltis perdemos uma Taça Guanabara para o Vasco e justamente os dois melhores jogadores do time perderam os penais decisivos, Zico e Geraldo, no Campeonato Brasileiro num jogo mata mata perdemos para o Vasco e  não conseguimos chegar as finais, mesmo com uma campanha infinitamente superior. Públicos pagantes extraordinários, jogos e mais jogos com uma lotação bem maior do que cem mil torcedores no velho maraca. Num jogo em homenagem ao falecido Geraldo, jogamos contra a Seleção Brasileira, vencemos por 2 x 0 com gols de Paulinho Carioca e Luiz Paulo, mais de 142 mil pagantes e com a presença de Pelé em campo. Nosso time base em 1976 foi Cantarelli, Toninho, Rondinelli, Jayme de Almeida e Júnior, Tadeu, Geraldo, Paulinho Carioca, Luisinho, Zico e L.Paulo, ainda atuaram Dequinha, Merica, Wanderlei Luxemburgo, Adílio, Caio Cambalhota, Marciano, Edu Coimbra e outros mais.

SRN


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.