| Futebol

Chapecoense busca clube de peso para endossar ação do "Caso Petros"

Com medo de retaliações, clube tenta convencer um dos grandes a se envolver em queixa. Promotoria ainda analisa se denunciará Corinthians, que pode perder pontos

O fantasma do tapetão ronda, pelo segundo ano consecutivo, o Campeonato Brasileiro. A possibilidade de o Corinthians ser punido pela Justiça Desportiva por conta de um erro no registro do meia Petros criou uma movimentação iniciada pela Chapecoense, que observa os passos da Procuradoria do Tribunal com relação ao caso.

O medo de que possa ser alvo de retaliações, porém, faz a diretoria catarinense atuar com cuidado. A equipe busca o apoio de algum dos grandes clubes do país para suportar a ação. Primeiro, tentou o Palmeiras – contato que dirigentes paulista negam -, sem sucesso. Agora, tentam convencer o Internacional, que tem o Corinthians como rival por uma vaga na Libertadores de 2015, a liderar a ação.

Petros coritiba e corinthians (Foto: © Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)STJD analisa se Petros teria enfrentado o Coritiba com registro irregular (Foto: © Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

- A diretoria da Chapecoense pede cautela neste caso. Se o clube puxar a frente da denúncia, há o temor de retaliação. Por isso, estamos observando. Se ninguém se mexer, a gente pode tomar a frente. Agora é melhor ficar na retaguarda – afirmou o diretor jurídico da Chapecoense, Luis Sérgio Grochot.

A cúpula colorada aguarda se a Procuradoria irá concretizar a denúncia. Só aí irá avaliar e se pronunciar, mas não nega a possibilidade de se envolver no caso.

Ao menos dois times já deram retorno positivo à Chapecoense e demonstraram interesse em encorpar a queixa, o Criciúma e o Bahia, ambos ameaçados pela degola, como a equipe catarinense.

- Conversamos com alguns clubes. O posicionamento de todos é observar a denúncia do STJD. Esses clubes entrariam como terceira parte interessada no processo. Esperamos a efetivação da denúncia para entrar como interessado. Essa é a ideia – explicou Grochot.

Os baianos, na 14º colocação, já encomendaram parecer de um advogado atuante no Tribunal para ter detalhes que possam embasar uma decisão da diretoria.

- Estamos consultando o doutor Paulo Rubens, que cuida dos casos do Bahia ligados aos STJD, para que ele busque informações sobre o caso. Depois disso, nos será passado um parecer – contou o gerente jurídico Vitor Ferraz.

- O Criciúma espera o desdobramento da atitude de Paulo Schmitt (Procurador-Geral), que abriu inquérito para investigar o caso. Vamos aguardar para saber se vamos endossar a ação – afirmou Albert Zilli dos Santos, diretor jurídico do vice-lanterna do Brasileiro.

Os demais clubes da Série A não se pronunciaram até o fechamento desta matéria.

Entenda o caso

saiba mais
  • Especialistas divergem sobre suposto erro no registro de Petros

 Petros estava vinculado ao Corinthians por um contrato de empréstimo que se encerrava em 1º de agosto, uma sexta-feira. Na mesma data, o atleta teve seu novo acordo, definitivo e válido a partir de 2 de agosto, sábado, registrado – um dia antes de sua vigência. Os que veem problema na ação apontam que o registro só vale a partir do primeiro dia útil a seguir – no caso, a segunda-feira, 4. Petros, porém, entrou em campo no domingo, 3,  para enfrentar o Coritiba. Irregular ou não? O STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) ainda analisa a situação.

Nesta semana o auditor Gabriel Marciliano Júnior concluiu inquérito que investiga se houve, de fato, uma irregularidade na participação do atleta no torneio. O despacho, como publicado no blog Bastidores FC, indica a possibilidade de que a federação paulista, a CBF e o clube tenham infringido regras. A recomendação dada à Procuradoria é de que ele não seja arquivado. O órgão decidirá pela denúncia ou não.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.