| Futebol

Chega de Alan Preguiça! Tragam de volta o Vaga-Lume!

flameng - Chega de Alan Preguiça! Tragam de volta o Vaga-Lume!

Querido leitor, antes de iniciar a leitura deste texto, abra a trilha sonora para acompanhá-la clicando AQUI!

Salve, salve Nação mais linda do Mundo!

Primeiramente definamos a palavra. “Preguiça”substantivo feminino com origem no termo em latim pigritia; é uma característica ou atitude que demonstra pouca disposição para o trabalho, ou aversão ao trabalho. Está também relacionada com negligência, indolência, mandriice, demora ou lentidão em praticar qualquer ação.

Lembram de algum jogador do Flamengo com essas características? Será que podemos qualificar algum atleta dentro desta definição? Respondo: Sim! Podemos e devemos! Analisando os fatos com base no que vemos, sem tomar partido para quaisquer dos lados e reservando-nos ao direito de análise séria, proba e sensata, iniciemos nosso estudo sobre este cidadão, Alan Patrick Lourenço, natural de Catanduva – SP em 13 de maio de 1991, no auge de seus (pasmem!) 25 anos. Atleta que torce pro mundo acabar em barranco pra morrer encostado.

Imaginem a cena: O Flamengo recupera a posse de bola na intermediária durante ação ofensiva do adversário, Arão passa para Allan Patrick que “avança” (Gabriel e Fernandinho abertos nas pontas) ele para, roda, sai do primeiro, do segundo, do terceiro (o time adversário já se recompôs defensivamente)… atrasa a bola para Márcio Araújo que devolve a Rafael Vaz para inciar novo ataque rubro-negro. Já viu isso acontecer no jogo com o Alan Preguiça em campo? Quantas vezes? Pois eu já vi muitas! E… sinceramente? Estou cansado da cena!

Sem querer ser injusto com nosso jogador que já foi responsável por muitos gols (seja com assistências, puxando contra-ataques com acionamento preciso dos atacantes ou até estufando as redes), ressalto aqui que, ultimamente, a extrema preguiça deste rapaz tem me tirado o sono. O cara joga como se estivesse de calça jeans molhada (mesmo quando entra no decorrer dos jogos). É de uma inépcia retumbante! Lembram daquele sanduba de uma rede de fast-food que se denomina “Matador de Fome”? Pois é, atualmente o AP é o “Matador de Contra-Ataques”! Quando a bola vai em sua direção, eu rezo. Parece um buraco negro, sugando todas as jogadas agudas! Nem “vaga-lumeando” a figura não está mais. A pilha de seu estroboscópio de popa deve ter acabado, não é possível! Lembram-se do menino (geralmente pereba) que era o dono da bola no campinho do bairro? Aquele que se fosse contrariado acabava com a pelada? Pois é… Chega a dar raiva, né?

Retomando a análise, podemos ressaltar mais uma “qualidade” de nosso meia: egoísmo (deem uma bola só pra ele, PELAMORDEDEUS!). Além deste tipo de egoísmo notem que, quando perdemos a bola, ele (quando não volta andando com a mão na cintura) força um trote e nem esboça a mínima vontade em marcar e ajudar os companheiros. Reparem na diferença de postura do Arão, do Márcio Araújo, do Diego e de todos os outros em marcar e comparem com o Alan Preguiça! O cara está destoando da galera. Esse tipo de atitude ficou estereotipada no glorioso Zé Buscapé (personagem do Hanna-Barbera) dos desenhos infantis.

É público e notório que ele tem inúmeras qualidade técnicas (reparem em seu fino trato com a bola) e seja um jogador diferenciado neste quesito, mas com a apatia apresentada (principalmente na recomposição defensiva e excessiva morosidade no ataque) está perdendo espaço para atletas menos qualificados tecnicamente. Devido a essa “preguicite aguda” que o acomete nestes últimos tempos, receito um remédio que seria extremamente eficaz para a quebra deste paradigma: “Mancuellol” (leia isso Zé Ricardo, please!!!). Para que seu famoso “efeito vaga-lume” (fato que observamos desde sua contratação) retorne (tornando esses “brilharecos” mais frequentes) é necessário muito mais do que disposição por parte do atleta, carecendo de mais entrega, mais correria, mais agilidade na decisão das jogadas, menos “fomeagem” com a posse da bola e, principal e fundamentalmente, mais companheirismo (coisa que toda a equipe – menos ele – vem demonstrando neste campeonato).

Torço, sinceramente, pra que alguma boa alma oriente o Sid (ops, Alan Patrick) e ilumine seus pensamentos. Espero ainda que ele aproveite a chance nesta reta final do Brasileirão (precisamos dele jogando bola!), fazendo com que o clube volte a ter interesse em contar com seu futebol em 2017 (uma ressalva: “em minha humilde opinião, espero que ele seja devolvido ao Shaktar Donetsk e que fique por lá – para a necessária evolução de qualidade do elenco do Mengão”). Além disso, fico imaginando o que deve estar pensando o Mancuello… Como deve ser dura sua vida… Ser reserva de um cara que não se esforça em nada deve ser dureza (percebam a diferença da entrega dos dois atletas). Mas isso é papo pra outra coluna…

Saudações Rubro-Negras a todos!!!
O FLAMENGO SIMPLESMENTE É!!!

Fabio Monken

Opine! Deixe seus comentários!

Diferenças de opinião são extremamente salutares!

Fonte: http://colunadoflamengo.com/2016/10/chega-de-alan-preguica-tragam-de-volta-o-vaga-lume/

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.