| Futebol

Clubes têm até esta sexta-feira para contratar; veja quem ainda corre atrás

Prazo para inscrição de novos jogadores no Brasileirão se encerrará, e times têm restrições para buscar novidades. Série B é alvo principal de quem quer se reforçar

Após as 23h59 desta sexta-feira, nenhum clube da Série A do Campeonato Brasileiro poderá inscrever mais jogadores para a competição. O torcedor que espera ver novidades expressivas em seu time deve ter poucas esperanças. O mercado está restrito, e os clubes têm poucas opções para contratar. No entanto, a busca não se encerrou. Principalmente para as equipes que ocupam a parte de baixo da tabela.  

Quem quiser ir às compras tem apenas três opções. Contratar algum atleta que não tenha atuado mais de seis vezes no Brasileirão e tenha jogado apenas por uma equipe é uma delas. Recorrer às divisões inferiores parece ser a mais acessível e é a escolha da maioria. A última alternativa é procurar por jogadores que estavam atuando no exterior e tenham encerrado seus vínculos antes do fim da janela de transferências internacionais no Brasil (13 de agosto).

Mesmo quem opte por inscrever um atleta que já jogou na Série A de 2014 deve se atentar a outras restrições. Um clube não pode ter mais de cinco jogadores que já passaram por outros clubes do torneio e não é permitido contratar mais de três de uma mesma equipe. Pelo menos sete clubes ainda têm intenções de encorpar seus elencos até esta sexta. Dos restantes, alguns consideram que já estão com o grupo fechado, outros alegam que só farão negócio se algo muito benéfico surgir.  

Mercado Clubes que ainda pretendem contratar (Foto: GloboEsporte.com)

A principal fonte deve ser a Série B. Na luta contra a degola, o Palmeiras é um dos que estão com os olhos abertos a novidades. Nesta quarta, o Verdão tentou o goleiro Vagner e o zagueiro Pablo, ambos do Avaí, mas os catarinenses não liberaram. No mesmo dia, anunciou o experiente goleiro Jaílson, do Ceará, de 33 anos. A diretoria ainda busca um defensor.  

- Temos de respeitar a parte legal, quem vem de fora não pode ser contratado, mas estamos vendo a Série B e alguns jogadores chegarão para este ano, para suprir as necessidades do elenco – comentou o presidente Paulo Nobre, em entrevista recente ao GloboEsporte.com.  

Dificuldades para encontrar bons nomes  

As restrições no mercado dificultam a vida de quem precisa contratar. Por mais que tenha um dos melhores elencos da Série A, o São Paulo ainda tem uma carência: a defesa. Com as lesões de Rafael Toloi, Antônio Carlos e Lucão, um zagueiro virou necessidade no clube, que prefere dizer que não está à procura de nomes. No entanto, o Tricolor observa opções na Série B. O Figueirense também buscava um nome para a zaga e um volante, mas desistiu. 

- Não achamos ninguém que nos interesse, não vamos contratar para encher a prateleira. Os que queremos são jogadores que o clube não vai liberar. Vamos com esse grupo de jogadores, tentamos e corremos atrás, mas é difícil. Se for para arriscar, vamos com os nossos aqui – comentou o técnico alvinegro Argel, depois da vitória sobre o Palmeiras.   

Não achamos ninguém que nos interesse, não vamos contratar para encher a prateleira. Os que queremos são jogadores que o clube não vai liberar
Argel Fucks

O Goiás também não esconde suas limitações e procura, há tempos, um lateral-direito. Após a saída de Vitor, para o Sport, a equipe pegou Moisés, emprestado do Grêmio, mas utilizou o zagueiro Valmir Lucas improvisado no setor por várias rodadas. Entretanto, a diretoria só aceita pagar até R$ 50 mil por mês. Com tamanha contenção, nem a segunda divisão é alternativa.   

- Eu queria vários jogadores da Série B, poderia listar pelo menos uns 10 de ótima qualidade. Existem grandes jogadores na segunda divisão, que têm nível de Série A. Mas, repito, a nossa dificuldade é contratar. Estão na Série B, mas custam muito caro, não temos condições. Vamos trabalhar com o que temos, tenho certeza de que poderemos produzir algo melhor – disse o técnico esmeraldino Ricardo Drubscky.  

O Sport está atrás de um atacante e é outro que fará sua busca na Série B. Rodrigo Pimpão, do América-RN, é nome cogitado. O Criciúma fez um pacote para encerrar as contratações. Anunciou quatro novidades nesta semana: o goleiro Edson, o zagueiro Eli Sabiá, o volante Rafael Pereira e o atacante Roger Gaúcho. O Fluminense quer um zagueiro e um atacante de velocidade, que é necessidade antiga. A pressão por um jogador com tal estilo vem até do próprio elenco. Mas faltam nomes disponíveis.  

- Fizemos esforços e trouxemos Henrique e Cícero, um dos grandes jogadores do futebol brasileiro. Júlio César e Renato são boas aquisições, sem custos. Estamos trabalhando em conjunto com o treinador para o melhor ao clube. Mas a gente sempre soube que este ano seria difícil - avaliou Mário Bittencourt, vice de futebol do Tricolor.  

Fora da Série B, quem está disponível?  

Não é em vão que a segundona seja o alvo mais comum dos clubes que ainda estão no mercado. São poucas as (boas) opções na própria Série A, ou seja, jogadores que ainda não completaram sete partidas pela competição e estejam disponíveis. Mesmo que o atleta se encaixe em tal perfil, ele não pode ser contratado se tiver entrado em campo por duas equipes diferentes em competições da CBF.

Palmeirenses correm no gramado no treino desta terça (Foto: Marcelo Hazan)O meia Bruno César está encostado no Palmeiras (Foto: Marcelo Hazan)

Mesmo assim, é possível apontar alguns nomes. No Galo, o lateral-esquerdo Pedro Botelho fez seis partidas. No Atlético-PR, o jovem meia Nathan e o atacante Dellatorre fizeram seis também. Marcelo Mattos, com uma, é opção para se buscar no Botafogo. O atacante Júlio César, que fez sucesso pelo Figueirense, fez seis jogos pelo Coritiba e está encostado. O atacante Ciro, que despontou no Sport e passou pelo Fluminense, tem pouca chance no Figueira. No Goiás, os jovens Liniker, meia, e o volante Rodrigo são opções.  

Quem quiser buscar alguém no Flamengo, os garotos Matheus, Frauches, Nixon e Recife ainda não completaram sete partidas, assim como o zagueiro Erazo, que foi titular do Equador na Copa do Mundo, mas sequer entrou em campo pelo Brasileirão. No Palmeiras, Bruno César, Deola, Eguren, Weldinho e Wellington poderiam jogar por outras equipes. O argentino Patito Rodríguez, do Santos, fez apenas seu segundo jogo pela equipe diante do Goiás, na última rodada. O também argentino Clemente Rodríguez está encostado no São Paulo à procura de um destino. A Portuguesa surgiu como possível interessado. No Vitória, o meia Hugo treina na equipe B desde julho.  

Nomes lá fora também são ventilados, mas poucos podem jogar ainda neste ano. Os mais conhecidos são os de André Dias, que deixou o Lazio no meio do ano, e o uruguaio Lugano, que também está sem clube desde a saída do West Bromwich. O volante Cristian, ex-Corinthians e Flamengo, rescindiu com o Fenerbahçe no fim de agosto, após o fim da janela de transferências internacionais no Brasil. Ele foi especulado em alguns clubes, mas só poderia jogar no Brasil em 2015. Quem quiser ousar pode ir atrás do goleiro espanhol Victor Valdés, ex-Barcelona, e o atacante português Hugo Almeida, ex-Besiktas. Mas é melhor correr.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.