"Está sendo muito bom estar sofrendo poucos gols, isso mostra que mesmo com a perda do Jorge não tenha mudado tanto. Ele tinha sua parcela de ajuda nos gols não sofridos e o Trauco chegou em um momento onde tinha até um certo preconceito pela sua altura, mas ele mostrou que pode e tem totais condições de estar fazendo isso nas partidas. Vamos trabalhar para levar adiante esses jogos com a defesa menos vazada do campeonato", disse o zagueiro, em entrevista ao ​Lance!.

Réver citou também a ajuda dos atacantes na maracação para que todo o sistema defensivo funcione. O zagueiro relembrou as derrotas nos primeiros amistoso da temporada e comemorou a rápida volta por cima.

"Muito se fala do futebol moderno. É isso, o atacante tem que ajudar na marcação e ter força para tentar fazer o gol. Nessas três partidas mostramos isso. Nos amistosos fomos questionados por fazer pouco gol e sofrer muito. Já mostramos que isso mudou no começo do Carioca. Sabemos que pode mudar uma hora ou outra. Temos que destruir para conseguir deixar nossos atacantes na cara do gol", concluiu.

O Flamengo volta a campo nesta quarta-feira, quando encara o Grêmio pela Copa da Primeira Liga, em Brasília, às 19h30.