Por conseguinte, devido ao alto investimento, um setor muito importante para qualquer clube é deixado em segundo plano. Enquanto clubes como São Paulo e Fluminense têm proporcionado chances aos meninos da base, os "ricaços" os utilizam de forma reduzida e apenas para compor elenco.

No Palmeiras, por exemplo, apenas um atleta do atual elenco profissional é prata da casa. Trata-se do meia Vitinho, 18 anos, que foi promovido por Cuca ao final da última temporada. Contudo, com a chegada de Eduardo Baptista, a situação deve melhorar para os jovens pupilos. O goleiro Daniel Fuzato, o lateral direito Maílton, o zagueiro Augusto, o volante Cadina e o meia Léo Passos devem ganhar espeço no plantel de cima em jogos menos relevantes da equipe.

A dificuldade de maior ingresso ao time de cima se deve ao grande número de contratações da equipe paulista. Além dos citados inicialmente, a cúpula do Verdão trouxe os meias Hyoran e Raphael Veiga, o zagueiro Antônio Carlos e o atacante Keno.

No Flamengo, por sua vez, o panorama é levemente mais favorável às joias do clube. No atual plantel profissional, os goleiros Paulo Victor, Thiago e João Lopes, os zagueiros Léo Duarte e Juan, o lateral esquerdo Jorge, o volante Ronaldo, os meias Paquetá e Adryan e os atacantes Felipe Vizeu e Thiago Santos estão entre inseridos.

Entretanto, mesmo com grande número de jovens no elenco principal, apenas Jorge é titular. Inclusive, há grandes chances do defensor ser negociado nesta janela. O esportista de 20 anos, que despertou interesse de clubes europeus, tem passe avaliado em 30 milhões de euros (R$ 102,5 milhões).

 

​​