| Futebol

Com estatísticas a favor, PV chega à quarta defesa de pênalti pelo Fla

Em nove penalidades marcadas contra a equipe com o goleiro em campo, apenas quatro foram parar no fundo da rede. Há ainda uma cobrança no travessão

 

Quando o árbitro marcou o pênalti após a bola tocar na mão de Marcelo dentro da área, a torcida do Vitória comemorou como se fosse um gol. Afinal, trata-se da chance de gol mais clara de uma partida, um tiro livre onde geralmente os cobradores levam a melhor sobre os goleiros. O que os baianos não esperavam é que esta estatística não valesse para Paulo Victor. Preciso, o flamenguista atacou o chute de Juan, garantiu o triunfo carioca e ampliou uma marca favorável em penalidades. Em nove oportunidades defendendo o Flamengo, sofreu apenas quatro gols. 

Quem revela os números é o próprio PV, que levou a melhor em disputa com um atacante do Brasília, em amistoso em 2010; também contra Aloísio, o Boi Bandido, em 2011, quando o rival defendia o Figueirense; e contra o então corintiano Emerson Sheik, em duelo pelo Brasileirão de 2012. Há ainda um chute no travessão, de Victorino, que defendia o Cruzeiro, no Campeonato Brasileiro de 2011. Com os números ao seu lado, o goleiro do Flamengo revelou que recebe rodada após rodada um material editado com os cobradores do próximo adversário. 

- É muito treinamento, e isso é o mais importante. Faço muito treino de explosão com o Vágner (Miranda, preparador), de estar parado e sair para bola. Além disso, também estudo os batedores. O Vagner e o Rafael (Vieira, analista de desempenho) me passam tudo. Vejo o que os batedores do outro time podem fazer, se batem dos dois lados, como é cada batida. No pênalti do próprio Zé Love (do Coritiba, na última quarta-feira), senti que ia pegar, mas ele bateu muito alto. 

paulo victor vitoria x flamengo (Foto: Getty Images)Paulo Victor cai para fazer a defesa: goleiro tem destaque em cobranças de pênalti (Foto: Getty Images)

Com as informações em mente, Paulo Victor evita encarar o adversário momentos antes da cobrança. No caso de Juan, o ritual contou ainda com uma provocação, relembrando o período em que jogaram juntos no Flamengo. 

- Meu pensamento é sempre de que vou pegar. É importante estar treinado e tranquilo. Aquele é o momento que eu tenho de estabilizar o máximo possível. Não gosto de olhar para o batedor. Dessa vez, falei no ouvido do Juan: "Já treinei muito com você e sei onde vai bater". 

Se o pênalti resultou na defesa mais badalada, Paulo Victor guarda com carinho outro lance da partida com o Vitória. No segundo tempo, com o placar 1 a 1, Caio cabeceou à queima roupa, e o goleiro fez bela defesa com os pés: 

- A bola já tinha passado de mim, foi muito perto. Ela caiu e usei o recurso que tinha. O tempo para pensar era curto. Ali, eles virariam o placar. Estou muito feliz por tudo. Pelo resultado e por poder ajudar meus companheiros.

Titular do gol rubro-negro desde a chegada de Vanderlei Luxemburgo, Paulo Victor tem 68 partidas com a camisa do Flamengo: 33 vitórias, 21 empates e 14 derrotas. Quarta-feira, o goleiro é nome certo na equipe que encara o Coritiba, no Maracanã, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.