Com estreia de gringo, Botafogo tenta superar um Fla em busca de evolução

Com estreia de gringo, Botafogo tenta superar um Fla em busca de evolução

Se  nas arquibancadas o Botafogo terá a vantagem de ter o seu torcedor presente ao ginásio do Tijuca, já que clube de General Severiano é o mandante do clássico com torcida única, diante do Flamengo, às 20h, nesta sexta-feira, dentro de quadra os problemas do técnico Márcio Andrade são os mesmos do rival José Neto. Se o comandante alvinegro não terá o experiente Rodrigo Bahia, machucado, o treinador rubro-negro mais uma vez não poderá contar com os armadores Ricardo Fischer e Pedrinho Rava, além do ala-pivô Rafael Mineiro, todos em fase final de recuperação de lesão.

Se matematicamente falando o prejuízo do técnico alvinegro é menor, na prática o resultando é um pouco diferente. Sem um elenco tão qualificado como o do arquirrival, campeão das últimas 11 edições da competição, a ausência do pivô de 35, que deverá ficar quatro semanas fora com um lesão no tendão do calcanhar direito, tem um peso bem maior do que a ausências do lado vermelho e preto. Para aumentar a dor de cabeça do técnico do Botafogo, o armador Arnaldinho, capitão da equipe e principal jogador do elenco, é dúvida para o confronto.

A  boa notícia é que finalmente o americano Phillip Flowers fará sua estreia com a camisa do Botafogo. O ala, que estava jogando no Osasco, de São Paulo, não atuou nas duas primeiras partidas da equipe no Campeonato Estadual porque não teve sua documentação regularizada a tempo. Já o outro gringo alvinegro, o também ala Wesley Russell, fez sua estreia na derrota para o Macaé, segunda-feira passada. 

Já  a estreia mais esperada do Flamengo terá que ser adiada mais uma vez. Principal reforço do clube da Gávea para a temporada 2016/2017, Ricardo Fischer fez seu primeiro treino integral com o grupo na quinta-feira e provou que está completamente recuperado da cirurgia no ligamento cruzado anterior do  joelho direito. No entanto, a comissão técnica rubro-negra achou mais prudente segurar mais um pouco o jogador, que deve estar em quadra só na próxima segunda-feira, no clássico diante do Vasco, às 20h, também, no ginásio do Tijuca.

- A resposta foi muito boa, a comissão está bem feliz, mas me senti muito bem. É claro que fisicamente ainda sinto um pouco a falta de ritmo, mas fiz todos os movimentos sem sentir nada, me senti confiante para atacar a cesta, fazer as mudanças de direção e a minha volta dependia muito da resposta do treino de hoje (quinta-feira). Se o feedback fosse ruim, talvez meu retorno demorasse um pouco mais. Agora é sentar com a comissão, analisar o planejamento e ver se eu estreio contra o Vasco. Se dependesse apenas de mim eu já jogava amanhã (sexta-feira) contra o Botafogo (risos). Estou pronto, me sentindo bem, agora é com eles - afirmou o novo camisa 5 da Gávea.

+ Eurico critica torcida única e tira onda: "Meu negócio é ganhar do Flamengo"

Se a volta de Fischer é praticamente certa na segunda-feira, os retornos de Pedrinho e Rafael Mineiro podem demorar um pouco mais. Enquanto o armador que veio do Macaé fez um trabalho à parte com o preparador físico Diego Falcão e tem alguma chance de ser relacionado para o clássico contra o time vascaíno, o ala-pivô sequer entrou em quadra na quinta-feira e também já está vetado para a partida da próxima segunda-feira, no ginásio do Tijuca, apenas com a presença de torcedores rubro-negros.

Se por um lado Neto reconhece que o desfalque de Rodrigo Bahia e a possível ausência de Arnaldinho são uma vantagem para o Flamengo, a presença dos dois americanos recém-contratados serve como contraponto para tornar a partida bastante dura. 

- Numa competição como essa qualquer jogador faz falta, principalmente esses dois, que são caras experientes. Sempre que um time tem a possibilidade de jogar contra o outro sem algum atleta importante, é uma situação que devemos considerar. No entanto, a presença de mais um americano pode acabar compensando essas perdas, e não podemos esquecer que o Botafogo vem se reforçando com o objetivo de brigar pelo título. No primeiro jogo eles enfrentaram o Vasco com um time, contra o Macaé já contaram com o reforço de um americano e contra nós estrearão o Phillip Flowers. Por tudo isso a expectativa é de um jogo bastante duro, até porque também estamos numa fase de adaptação - alertou o treinador do Flamengo.   

*Estagiário, sob supervisão de Marcello Pires