| Futebol

Com Fla em 10º, Everton pisa no freio sobre G-4: "Um passo de cada vez"

Meia faz alerta para clássico com Fluminense, exalta confiança que Luxa deu ao elenco e afirma que momento atual, com 25 anos, é o melhor da carreira

O Flamengo ainda não venceu o Fluminense em 2014. Terá a última oportunidade neste domingo, às 16h, no Maracanã. O rival, inclusive, é uma equipe bem simbólica para Everton. Quando chegou ao Rubro-Negro para a primeira passagem, o jogador estreeou justamente em um Fla-Flu. Foi pelo Campeonato Brasileiro de 2008, em partida que contou com mais de 60 mil torcedores, acabou 2 a 2 e teve grande atuação do então jovem de 19 anos, recém contratado junto ao Paraná.

Novamente diante de um confronto com o clube das Laranjeiras, o meia faz avaliação da evolução do Fla na tabela do Brasileirão deste ano, mas coloca o pé no freio na hora de falar do G-4 (assista ao vídeo).

- Estamos muito perto ainda da zona de rebaixamento. Se a gente conseguir essa vitória diante do Fluminense, poderemos dar um passo a mais. Mas sabe-se também que será um jogo complicado. O Flu tem uma equipe excelente. Um passo de cada vez. Primeiramente, sair lá debaixo. Sabemos como é difícil jogar lá embaixo. Agora que demos um passinho, temos que focar e manter isso aí - avaliou.

Flamengo x Coritiba - Everton (Foto: André Durão)Everton comemora vitória contra o Coxa, pela Copa do Brasil, no Maracanã (Foto: André Durão)

No primeiro turno, o Tricolor levou a melhor. Após golear o Palmeiras por 4 a 2 no Maracanã, o Flamengo foi derrotado pelo rival por 2 a 0. Everton não entrou em campo naquele que foi o jogo derradeiro do técnico Jayme de Almeida, demitido no dia seguinte. Com o time vivendo situação um pouco mais tranquila atualmente, o jogador mandou um recado para a torcida desejando, mais uma vez, o apoio dos rubro-negros.

- Esqueçam (o jogo do primeiro turno). Se Deus quiser, no domingo, estaremos em um dia bom e que os torcedores possam apoiar a gente - declarou.

Apontado como peça fundamental no esquema do Flamengo desde a chegada do técnico Vanderlei Luxemburgo, o camisa 22 revela que a principal medida do treinador foi passar confiança para o grupo. E admite também que Luxa já o conhecia de trabalhos anteriores, e citou sua passagem pelo Atlético-PR no ano passado, quando foi vice da Copa do Brasil perdendo o título justamente para o clube carioca que agora defende.

A chegada do Luxemburgo foi essencial para a nossa equipe"
Everton
meia do Flamengo

- A chegada do Luxemburgo foi essencial para nossa equipe. Nos fechamos bem com ele, estamos conseguindo jogar bem fora de casa, somar pontos, que estão sendo importantes também. Ele já me conhecia de outros trabalhos como no ano passado, no Atlético-PR. Me deu confiança, ao chegar conversou com a gente. Sabemos da dificuldade que é jogar no Flamengo, ainda mais em último lugar como quando ele chegou. O Luxa conseguiu dar essa moral para gente - revelou.

Naquela primeira passagem pelo clube da Gávea, que começou em 2008 e se encerrou no final do ano seguinte, Everton precisou amargar o banco de reservas por um bom tempo. E a titularidade surgiu em um improviso. O lateral-esquerdo Juan se lesionou e o meia "quebrou um galho" do, na época técnico rubro-negro, Andrade. Com grandes atuações em jogadas de velocidade pelo lado esquerdo, colaborando com Zé Roberto para tornar o corredor como ponto forte do Fla, Everton foi importante para a arrancada que terminou com o título do Campeonato Brasileiro de 2009.

Apesar da conquista, ele mesmo acredita que seu melhor momento da carreira é o atual. Com 25 anos, o jogador cita a experiência que adquiriu de lá para cá - após sair do Flamengo campeão brasileiro, foi para Tigres, do México, depois Botafogo, Samsung Bluewings, da Coreia do Sul e Atlético-PR.

- Acho que sim (momento atual ser o melhor). Estou muito confiante, muito feliz. Estou numa idade boa, 25 anos. Dei uma rodada boa e sei a dimensão que é jogar no Flamengo - resumiu.

saiba mais
  • Contra o Fluminense, Luxa tem nova barreira a ser quebrada pelo Flamengo
  • Convocações, moral e banco: Samir e Marlon chegam idênticos para Fla-Flu
  • Atual maior algoz do Flu, Alecsandro tenta primeiro gol no clássico pelo Fla

 

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.