Tendo à frente o ex-presidente Márcio Braga, uma ampla frente de oposição já foi lançada, inclusive com a divulgação de um manifesto em que as críticas ao futebol predominam. Embora ainda não exista a oficialização de possíveis nomes que possam representar este movimento no pleito, já se sabe que as discussões serão voltadas para dentro de campo. “A política desenvolvida pela atual gestão no futebol é derrotada. A parte administrativa está encaminhada, mas tudo isso ainda receberá uma análise. O Flamengo é remo e futebol. Está no estatuto. Somos um clube sem fins lucrativos e não disputamos campeonatos de balanço financeiro. Estamos atrás de taças. Até agora, nada disso aconteceu. O projeto precisa ser modificado”, destacou Braga, ao site ​Uol.

Desde 2013, o Flamengo só conquistou uma Copa do Brasil e dois Campeonatos Estaduais. Neste ano, mesmo com forte investimento e a formação de um elenco estrelado, o time acabou fracassando nas disputas nacionais e caiu na fase de grupos da Libertadores. Neste momento, Rodolfo Landim surge como uma possibilidade de encabeçar a chapa, ele que foi candidato a vice na chapa de Wallim Vasconcellos na última eleição.

CARTA ABERTA À GRANDE NAÇÃO RUBRO-NEGRA

“Flamengo, Flamengo tua glória é lutar. Flamengo, Flamengo campeão de terra e mar”

A Nação sabe que glória, luta e vitórias formam o verdadeiro espírito do nosso Flamengo.

Foi isso que nos trouxe até aqui e nos fez o maior do mundo.

Infelizmente, não vemos esse pensamento na administração do sr. Eduardo Bandeira de Mello – atual presidente do Flamengo.

A postura dos nossos jogadores em campo, as entrevistas dadas pelos dirigentes, o conformismo com as derrotas, o distanciamento do clube com sua torcida, a falta do verdadeiro espírito rubro-negro na comissão técnica, entre tantos outros exemplos, estão fazendo com que o Flamengo se apequene e se torne apenas um clube grande como os outros.

O que a atual diretoria não entende é que o Flamengo é muito mais que um clube, é uma Nação de milhões de apaixonados.

Estamos desperdiçando um momento especial do futebol mundial, em que a disputa da mídia e dos patrocinadores pelo conteúdo esportivo tem feito com que uma enorme quantidade de dinheiro seja investida nos clubes. O Flamengo, apesar de ter se aproveitado bem disso, infelizmente tem gasto muito mal essa quantia.

Além disso, a atual diretoria acha normal jogar com uma camisa amarela no lugar do nosso Manto.

Acha normal ter protegidos no time, abandonando a meritocracia.

Acha normal ver o time desclassificado na primeira fase da Copa Libertadores sem marcar pontos em nenhum jogo fora de casa.

Acha normal jogar sempre em um estádio pequeno e ter a sua pior média de público em um Campeonato Brasileiro.

Acha normal ter um elenco de futebol milionário – talvez o mais caro do País - e ainda assim não conseguir conquistar nenhum campeonato relevante. O único campeonato significativo que a administração Bandeira ganhou no futebol foi a Copa do Brasil de 2013, há quatro anos, quando o comando era exercido por um grupo de dirigentes, hoje fora da gestão do Clube.

Se no futebol estamos com o DNA perdedor, também no remo, nosso esporte fundador, temos tido uma atuação muito longe da tradição rubro-negra. Desde que assumiu o clube, em 2013, a administração Bandeira de Mello levou o Flamengo a perder todos os cinco campeonatos cariocas e brasileiros de que participou, algo que nunca havia acontecido na história do Clube. O Flamengo, de equipe líder do remo brasileiro e formador de vários atletas olímpicos, passou a ser superado sistematicamente por rivais que, no passado, eram facilmente batidos.

Por tudo isso e mais, pelo abandono da sede do Clube e pelo autoritarismo da diretoria na relação com a imprensa e os sócios, nós, ex-presidentes, grandes beneméritos, beneméritos, eméritos e sócios do Flamengo, estamos nos unindo numa frente ampla, com o objetivo de ajudar no resgate do espírito rubro- negro e seu DNA de vitórias.

Esse grupo irá preparar um plano de trabalho para apresentar à Nação e aos sócios do Flamengo. Um plano com a alma rubro-negra O que queremos, e vamos trabalhar muito por isso, é ver o nosso Flamengo novamente um grande vitorioso – como sempre foi e será.

Por fim, gostaríamos de deixar claro que a participação nessa frente ampla não significa um imediato alinhamento político-eleitoral nem um compromisso de qualquer nome para a eleição de 2018.

Tudo pelo Flamengo. Nada do Flamengo.

Saudações Rubro-Negras.

UNIÃO PELO FLAMENGO