Com muita velocidade, Fla esbarra em falta de criatividade do meio

Com muita velocidade, Fla esbarra em falta de criatividade do meio

O Flamengo encarou o Vasco, no sábado, com novidades no meio de campo e na formação titular. Muitos dos jogadores que ainda não vinham jogando, fizeram sua primeira partida na temporada, como foi o caso de César, Pará, Rhodolfo, Everton Ribeiro e Felipe Vizeu. Contudo, a falta de criatividade do meio de campo não acompanhou a velocidade dos garotos que estão fazendo a diferença por enquanto no Rubro-Negro.


MEIO DE CAMPO SEM CRIATIVIDADE

O Flamengo iniciou a partida com um meio de campo formado por Cuéllar, Romulo e Everton Ribeiro. Em dados momentos, Cuéllar e Romulo inverteram posição, com o colombiano mais centralizado. A ideia de Carpegiani era apostar na criatividade de Everton Ribeiro, mais livre de marcação e fazendo a infiltração pelo meio, para aproveitar a velocidade e habilidade dos pontas, Lucas Paquetá e Vinicius Júnior. Contudo, fora de ritmo, Ribeiro não conseguiu render o esperado e pouco encostou em Felipe Vizeu. Nas poucas vezes que apareceu, distribuiu passes burocráticos e não foi o cérebro que precisava. Acabou sendo substituído.

PONTAS INFERNIZAM

Como sempre, os garotos foram as melhores opções do Flamengo durante o clássico. E quando diz garotos, pode colocar Marlos Moreno nesse bolo. Afinal, o colombiano é jovem. Infiltrações pelos lados foram as principais do Fla. Tanto que Paquetá teve duas chances e Vinícius Júnior uma oportunidade. Inclusive a chance da joia foi criada por Marlos Moreno. O atacante foi muito bem na estreia, mas sentiu um pouco do entrosamento ainda com os companheiros.

ROMULO AINDA DEVENDO
A opção por Romulo, deixando até Ronaldo fora do campo foi justificada por Carpegiani. O treinador está em constante observação, já que o foco é estreia na Libertadores. E nesse primeiro jogo, Cuéllar desfalca, pois está suspenso. O  volante mais uma vez teve atuação abaixo - contra o Bangu até que apareceu mais - com pouca vontade na marcação e errando passes bobos. Ele foi vaiado quando foi substituído.

O QUE ESPERAR?
Taticamente, o Flamengo está entendendo muito bem os pedidos de Paulo César Carpegiani. O time está com uma boa aplicação tática e com entrosamento melhorando aos poucos. Além disso, o treinador soube mesclar bem a experiência que já tinha no elenco com os jovens que estão subindo ou sendo mais aproveitados. A tendência é que esse time melhore a cada rodada e chegue forte para o dia 28 de fevereiro, quando recebe o River Plate, da Argentina, na estreia na Copa Libertadores.