| Futebol

Com planos de longo prazo, Rueda encara estreia em jogo decisivo do Flamengo

Colombiano tenta regularizar visto a tempo de encarar o Botafogo pela Copa do Brasil

Reinaldo Rueda, de 60 anos, com passagens por três seleções e título da Libertadores no currículo, foi apresentado ontem como novo técnico do Flamengo com o desafio de pôr a equipe em campo contra o Botafogo na primeira partida da semifinal da Copa do Brasil, quarta-feira, no Estádio Nilton Santos.

A chegada é mais um resultado do planejamento remendado na temporada. Não só pela saída de seu antecessor Zé Ricardo no meio do ano, como pela constante chegada de reforços sem tempo para o time se entrosar. É essa a missão do “mágico” Rueda em 48 horas: deixar o Flamengo mais perto de títulos para que o ano não seja perdido nesse sentido.

— Desde o avião, já venho fazendo projeções. A tarefa é fazer a lista dos onze; alguns não podem jogar essa competição, outros não estão bem fisicamente. Tomara que os escolhidos possam fazer um bom jogo. Temos nesse momento respaldo da torcida, essa credibilidade, mas temos que ratificar com resultados — disse, calejado, o colombiano, que aguarda a documentação trabalhista para ficar à beira do gramado. Para o jogo decisivo, o técnico não deve ter o centroavante Paolo Guerrero, que continua em tratamento da lesão na coxa direita.

Juan, Diego e Diego Alves: lideranças

As primeiras palavras como novo comandante foram, aliás, o retrato da experiência, apesar de Rueda ter deixado se levar também pela mística rubro-negra. Assim como a projeção para o time, o discurso do colombiano foi baseado na projeção otimista de que fará um trabalho de longo prazo no clube, mesmo com a pressão por conquistas.

— A experiência mostra que é melhor começar do zero. Mas essa oportunidade do Flamengo não é todo dia (que aparece). Tem um prestígio, um status — admitiu o técnico, com um inseparável caderninho de anotações.

Desde que acertou seu contrato até o fim de 2018, o treinador bota na ponta do lápis ideias do que pode fazer com o time do Flamengo. A palavra reação foi a mais dita na coletiva e no encontro com jogadores antes da apresentação. O time precisa de motivação diante da queda de produção, especialmente no Brasileiro. E nada como um mata-mata na Copa do Brasil com um clássico para mudar o humor do time.

— Hoje, quando o presidente nos apresentou, senti que é um grupo jovem, mas experimentado. E estão com esse afã de revanche, de reagir. Sentem as derrotas — afirmou o técnico, que tratou de não diferenciar estrangeiros de brasileiros, e destacou as lideranças de Juan, Diego e Diego Alves.

Confiança na volta à Libertadores

O estilo de jogo atual do Flamengo foi referendado pelo treinador, que armou, no Atlético Nacional, da Colômbia, um time aguerrido e veloz. Segundo o diretor de futebol do Flamengo, Rodrigo Caetano, essa foi uma das razões para a investida no projeto de longo prazo. Rueda deixou claro que apesar do estilo, vai trabalhar sistemas de jogo distintos.

— O estilo é do Flamengo. Como equipe grande, tem uma forma de jogar de muitos anos de história. A forma de jogo pode variar, os sistemas também. Falar no futebol é muito fácil, mas no campo é que tudo acontece — explicou o treinador. — Esperamos que, com os resultados, a equipe ganhe confiança.

Fora de campo, Rueda e Flamengo conversam para que o técnico se inteire da filosofia de trabalho rapidamente. O preparador físico Carlos Velazco assume a função de campo e será orientado por Daniel Gonçalves, que passa a coordenador científico.

A metodologia do Centro de Excelência em Performance será mantida, mas a execução ganha uma ideia personalizada, com Rueda e Bernardo Rédin como auxiliar. No contrato assinado ontem, Rueda e o clube estabeleceram multas para o caso de saída antes do fim de 2018; segundo o diretor Rodrigo Caetano, nada específico em relação à seleção colombiana. Em caso de demissão, o treinador também recebe o restante do contrato. A possível volta à Libertadores, sem tropeços como os recentes, foi um fator decisivo na negociação.

— Valeria a pena independentemente da necessidade de resultado de curto prazo. Acreditamos que temos boas chances de buscar novamente a vaga na Libertadores, contando com pessoas que conhecem muito esse caminho — enfatizou o dirigente.

Fonte: https://oglobo.globo.com/esportes/com-planos-de-longo-prazo-rueda-encara-estreia-em-jogo-decisivo-do-flamengo-21706235

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.