Com Rueda, Cuéllar recuperou confiança e terminou 2017 em alta

Com Rueda, Cuéllar recuperou confiança e terminou 2017 em alta

Após começar o ano sem espaços e na reserva de Márcio Araújo, Cuéllar renovou suas esperanças com a chegada do compatriota Reinaldo Rueda. A primeira mudança do treinador em sua chegada foi colocar o camisa 26 entre os titulares e o jogador de 25 anos não decepcionou.

Com Zé Ricardo, o volante ganhou algumas chances em seu primeiro ano, mas acabou se prejudicando por conta de lesões. Em 2018, Cuéllar chegou a ser a quarta opção de volante, depois de Willian Arão, Romulo e Márcio Araújo.
Na semifinal da Copa do Brasil, contra o Botafogo, Rueda lançou Cuéllar e desde então o volante não saiu do time titular. O colombiano mostrou muita garra, entrega e vontade, e logo de cara conquistou o carinho da torcida do Flamengo, que nas redes sociais chegaram a denominar o atleta como o "melhor volante do Brasil".

Para coroar o ano da redenção, Cuéllar também ajudou a Colômbia na classificação para a Copa do Mundo da Rússia de 2018. Querendo uma vaga na competição, o volante seguirá no Flamengo e como titular absoluto da equipe tem grandes chances de disputar o Mundial com a sua seleção.

O camisa 26 chamou atenção pelo alto número de bolas que roubou na temporada. Outro ponto positivo destacado por Rueda é que Cuéllar além de ser um "cão de guarda" na marcação, tem qualidade e competência para sair distribuindo jogo. Será importante no ano que vem.