Em caixa, não há muito dinheiro destinado a reforços. O orçamento prevê apenas R$ 15 milhões para isso, sendo que é necessário fazer R$ 10 milhões com venda de atletas para chegar a esta quantia. Pois então, a ideia é convencer os jogadores com base no que a instituição oferece como estrutura de trabalho. E isso acaba se espalhando. O Mengão tem como prioridade o pagamento em dia dos salários, o que por si só já é algo que o coloca à frente de algumas equipes. Assim, acaba tendo facilidade em se acertar com alguns nomes e aposta em uma espécie de “pressão” para conseguir reduzir alguns valores pedidos pelas equipes.

Com Pablo, por exemplo, já está tudo encaminhado junto a seus representantes, faltando o Bordeaux-FRA diminuir o que quer para liberá-lo. Com Zeca, é preciso definir a questão jurídica junto ao Santos. Com Fred, nem mesmo o salário na casa dos R$ 900 mil deverá ser problema agora que o mesmo rescindiu seu contrato com o Atlético-. E assim, neste ritmo e com sua grife, o Flamengo tenta sempre estar à frente da concorrência na busca por novos integrantes do plantel.