| Futebol

Da arquibancada à quadra: na torcida em 2005, Gegê volta à NBA com o Fla

Aos 14 anos, armador aproveitou uma viagem com a família para os EUA e assistiu a uma vitória do Orlando Magic, seu rival no próximo dia 15, contra o Sacramento Kings

Gegê aos 14 anos durante jogo entre Orlando Magc e Sacramento Kings, em Orlando (Foto: Arquivo pessoal)Aos 14 anos, Gegê aproveita viagem com a família para os EUA para assistir o jogo entre o Magic e os Kings (Foto: Arquivo pessoal)

Como todo menino que começa a jogar basquete, George Frederico Torres Homem Chaia, o Gegê, sempre sonhou com a NBA. Em 2005, aos 14 anos, o armador do Flamengo teve uma pequena prova. Só que como torcedor. Atleta do Tijuca Tênis Clube na época, o adolescente aproveitou a viagem para os Estados Unidos com a família e presenciou a vitória do Orlando Magic de Steve Francis sobre o Sacramento Kings de Mike Bibby, na prorrogação.

Acompanhado do pai e do tio, o campeão da Copa Intercontinental de Clubes com o Flamengo na última semana mal podia imaginar que nove anos depois voltaria à mesma cidade e ao mesmo ginásio, que apenas ganhou outro nome nesse período em razão da mudança de patrocinador, só que desta vez como jogador profissional.

Se a cidade e o time escolhidos pela NBA são os mesmos de nove anos atrás, as circunstâncias são totalmente diferentes. Além do Orlando pelo qual Gegê torceu em 2005 ser o adversário do seu Flamengo, dia 15 de outubro, no Amway Center, aquele menino que só queria estar perto dos ídolos hoje é um dos jogadores mais vitoriosos do atual elenco rubro-negro.

- Todo mundo me pergunta se eu esperava que tudo isso acontecesse tão rapidamente na minha carreira. Eu sempre respondo que nem nos meus melhores sonhos podia imaginar que aos 23 anos seria campeão do mundo, que jogaria três partidas contra times da NBA e que já teria conquistado o que a maioria dos jogadores nunca ganhou numa carreira inteira. Há nove anos eu era apenas um menino que sonhava com a NBA e sequer sabia se iria me tornar um jogador de basquete. Ter a chance de voltar à Flórida e enfrentar o Orlando no mesmo ginásio em que estive como torcedor é um sonho - afirmou Gegê.     

saiba mais
  • NBA Global Games: concorra a ingressos
  • Ginásio do Orlando Magic se prepara para o duelo diante do Flamengo
  • Baixe aqui o papel de parede do Flamengo campeão
  • Galeria de fotos do Flamengo campeão

Dono de dois títulos do NBB, dois cariocas, uma Liga dos Campeões e uma Copa Intercontinental de Clubes, Gegê sabe que será muito mais difícil ajudar o Flamengo a se manter no topo pelas próximas temporadas. Ainda eufórico pela vitória sobre o Maccabi Tel Aviv, de Israel, o armador rubro-negro admite que ainda não tem a real dimensão de tudo que conquistou com seu time de coração.

- Hoje sou uma pessoa muito mais madura e sei a responsabilidade que é ser um jogador profissional. Muitos torcedores me reconhecem e me param na rua para me parabenizar por todas as conquistas que o basquete do Flamengo conseguiu. Esse reconhecimento não tem preço e é muito legal. Acho que só nessas horas é que a ficha cai e que realmente temos a exata noção de tudo que temos feito em quadra - disse o camisa 19 do Flamengo.

Como o desejo de nove anos atrás acabou se materializando nesta temporada, Gegê não descarta voos mais altos. Empolgado com a primeira oportunidade de conhecer o mundo da NBA mais de perto, o também bicampeão da Liga de Desenvolvimento (LDB) espera um dia poder ter a chance de jogar no melhor basquete do mundo.

gege basquete flamengo nbb (Foto: Reprodução )Gegê posa abraçado a um dos dois troféus do NBB que conquistou com o Flamengo (Foto: Reprodução )

- Por que não? Sei das dificuldades que é para um atleta entrar na NBA, mas ainda sou muito novo. Tenho só 23 anos e tudo na nossa vida é uma conquista. Tenho que continuar trabalhando para, quem sabe um dia, poder realizar esse objetivo. Se há nove anos eu não podia sequer sonhar com isso, hoje pelo menos eu já posso - brincou o ex-jogador de futsal e polo aquático.

Torcedor apaixonado do Flamengo, Gegê reconhece que o feito do time de basquete jamais poderá ser comparado ao título mundial conquistado por Zico, Junior & Cia. nos gramados de futebol. No entanto, o armador rubro-negro se enche de orgulho ao mostrar o recado deixado pelo maestro Júnior em seu celular, após a vitória por 90 a 77 sobre o Maccabi.

- Nós sabemos que a proporção da nossa conquista nunca será mesma da de 81. Futebol é futebol e aquele time é a maior glória da história do Flamengo. Mas só fato de um ídolo como o Júnior inverter os papéis e me parabenizar através de seu twitter é demais. Um cara da grandeza dele me tratando como um ídolo do clube é gratificante - comemorou.  

O Flamengo jogará três jogos na pré-temporada da NBA, contra Phoenix Suns (8/10), Orlando Magic (15/10) e Memphis Grizzlies (17/10).

saiba mais
  • Dez anos após ouro em Atenas, ídolo e fã viram companheiros no Flamengo 
  • DIÁRIO DE VIAGEM: acompanhe todos os passos do Flamengo nos EUA

 


Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.