| Futebol

Defesa de Guerrero adota estratégia de posssível contaminação; Fla avalia indenização de peruanos

flameng - Defesa de Guerrero adota estratégia de posssível contaminação; Fla avalia indenização de peruanos

A linha de defesa inicial para tentar comprovar a inocência de Guerrero da suspeita de doping é de uma possível contaminação por descuido da substância presente apenas na cocaína e no chá de coca. O atleta alegou não ter consumido nenhum dos dois, mas os advogados do jogador investigam se a bebida foi ingerida por engano.

A contaminação teria acontecido quando o jogador estava sob os cuidados da Federação Peruana de Futebol, antes do jogo pelas Eliminatórias contra a Argentina. Lá, o centroavante alegou ter consumido apenas remédios para uma forte gripe, tudo com orientação de médicos.

Por isso, os advogados Marco Motta e Bichara Neto, contratados para o caso, pediram a contraprova e o resultado analítico da amostra A, a primeira, o que deve sair na próxima semana.

—Estamos aguardando a contraprova e o resultado analítico da amostra A. Ainda estamos investigando. É um metabólito encontrado do chá de coca — disse Bichara, confirmando que Guerrero disse não ter consumido a bebida.

Indenização em análise

A diretoria do Flamengo ainda adota cautela no drama do suposto doping de Guerrero, mas avalia internamente se cabe pedir indenização à Federação Peruana em caso de confirmação de que o jogador consumiu alguma substância proibida por engano enquanto defendia a seleção de seu país.

O prejuízo ao clube é perder o jogador pelo menos até o fim de 2017, já que houve suspensão preventiva pela Fifa por 30 dias. No período, Guerrero defenderia o Flamengo pelo menos nas semifinais da Copa Sul-Americana e no fim do Brasileiro.

Em princípio, a comprovação do doping também abriria precedente para a diretoria multar o jogador ou até rescindir o contrato sem multa, mas até o momento há total apoio e incentivo para que o caso seja esclarecido.

Com o caso assumido pelo escritório dos especialistas Bichara Neto e Marcos Motta, que normalmente advogam para o clube, a diretoria acompanha o desenrolar dos acontecimentos antes de encaminhar qualquer medida.

A cautela na nota de divulgação do Flamengo, citando a conduta exemplar do jogador, já fez parte de uma estratégia de apoio na tentativa de inocentar Guerrero.

No Peru, Federação se exime, e pai de Guerrero ataca

Julio Segura, chefe do departamento médico da seleção peruana, falou sobre a suspensão do atacante e tirou a responsabilidade da Federação Peruana. Em entrevista ao jornal "El Bocón", o especialista confirmou que o atacante do Flamengo utilizou medicamentos antes do duelo frente aos argentinos.

— Paolo estava com processo gripal e utilizou antibióticos e anti-inflamatórios. Mas tudo dentro do permitido — disse Segura, antes de eximir sua responsabilidade.

— Nós não estamos acostumados a utilizar substâncias que não permitidas. Lamentavelmente isso ocorreu com o nosso capitão. Garanto que não há qualquer problema do nosso ponto de vista — declarou o médico.

Por outro lado, o pai de Guerrero, José Guerrero, desqualificou o médico.

— A equipe médica agora lava as mãos e não quer dizer o que aplicou (em Guerrero). Tenho total segurança que ele não consumiu nada sem autorização. Tomou o que o departamento médico indicou para gripe. Aplicaram uma injeção nele antes da partida contra a Argentina — esbravejou.

Fonte: https://extra.globo.com/esporte/flamengo/defesa-de-guerrero-adota-estrategia-de-posssivel-contaminacao-fla-avalia-indenizacao-de-peruanos-22030660.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.