| Futebol

Depois de quase seis anos, Fla volta a ter dois argentinos juntos em campo

Contra a Chapecoense, Canteros estreia como titular e se junta a Mugni na luta para derrubar estatística negativa de seus últimos compatriotas que passaram pelo clube

Sambueza e Maxi Biancucchi Flamengo (Foto: Globoesporte.com)Maxi, ainda cabeludo, e Sambueza: hermanos formaram a última dupla argentina que defendeu
o Flamengo, em 2008 (Foto: Globoesporte.com)

Doval, Volante e Valido. Três argentinos que fizeram sucesso com a camisa do Flamengo. No entanto, essa relação há tempos não traduz um casamento duradouro ou com pontos altos a serem comemorados. Neste domingo, Canteros e Mugni se juntam na luta para derrubar a estatística de seus últimos compatriotas que vestiram a camisa do clube.

Depois de Sambueza e Maxi iniciarem o jogo na vitória por 1 a 0 sobre o Botafogo, no dia 9 de novembro de 2008, o Flamengo vai voltar a ter dois argentinos em campo juntos. Neste domingo, a dupla já está confirmada pelo técnico Vanderlei Luxemburgo para o confronto com a Chapecoense, em Chapecó, pelo Campeonato Brasileiro.

Mugni chegou ao clube no começo da temporada, mas ainda não conseguiu emplacar. Com Luxemburgo, foi titular na estreia, contra o Botafogo, quando acabou sendo substituído justamente por Canteros, aos 16 minutos do segundo tempo, o que impediu a dupla de atuar junta por algum período.

Novidade no time durante a paralisação para a Copa do Mundo, Canteros vai ter sua primeira oportunidade, atuando como segundo volante, sua posição de origem. Contra o Botafogo, acabou tocando pouco na bola, jogando mais adiantado.

Canteros e Mugni Flamengo (Foto: Reprodução/Instagram)Canteros e Mugni ja estão bem entrosados fora das quatro linhas (Foto: Reprodução/Instagram)



Luxemburgo elogiou Canteros, pois reconhece nele talento para ajudá-lo na missão de tirar o Flamengo da situação atual. Com Mugni faz o mesmo, demonstra paciência nos treinamentos e procura dar dicas ao jogador até mesmo em como se posicionar para receber a bola de costas para o gol.

- Estou dando oportunidade. Gostei muito do Canteros. Ele tem uma movimentação boa, já o conhecia e tem capacidade para desequilibrar o adversário por trás - afirmou Luxemburgo.

Em sua história, o Flamengo já teve uma série de argentinos no elenco. Alguns atuaram menos de 10 jogos, como o caso de Sambueza e Colace, decepções mais recentes, ou Borghi, contratado como grande atração no fim dos anos 80. Outro nome badalado na Argentina que passou pelo clube foi o goleiro Fillol, entre 1984 e 1985, com 71 jogos e nenhum título.

Desde Doval, o volante Mancuso talvez tenha sido o argentino com maior marca entre os torcedores. Ele participou da conquista do título carioca em 1996 e fez 66 jogos pelo clube. Famoso por ser primo de Messi, Maxi defendeu o Flamengo de 2007 a 2009, fazendo 69 jogos e participando da campanha do último título brasileiro.

Mais recentemente, Bottinelli atuou 90 vezes entre 2011 e 2012, sendo o quarto nascido em seu país com mais jogos pelo Flamengo. Também foi campeão carioca, em 2011, mas esteve longe de se tornar unanimidade. Foi o último argentino antes de Mugni e Canteros. A esperança é de que uma tradição do passado reviva em 2014.

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.