Diego avalia momento de Dourado no Fla e diz: 'Tem nossa total confiança'

Diego avalia momento de Dourado no Fla e diz: 'Tem nossa total confiança'

Henrique Dourado ainda não caiu nas graças da torcida do Flamengo, mas segue contando com a confiança dos companheiros de time. A eliminação diante do Fluminense na última quinta foi marcada pelas críticas ao Ceifador, que não balançou a rede contra seu ex-clube. Apesar disso, o camisa 19 não está abalado e continua se dedicando nos treinos, garante o meia Diego.

- Eu não o vejo abatido. Pelo contrário. É sempre um dos primeiros a chegar aos treinos e um dos últimos a sair. É um cara extremamente dedicado e tem nossa total confiança. É um jogador que tem se dedicado muito e nós vamos continuar acreditando nele. Ele nos dá motivo para isso - afirmou o camisa 10.

Dourado chegou ao Flamengo em janeiro, após destacar-se pelo Fluminense. Até agora, o Ceifador não repetiu o desempenho que o levou à artilharia do país (32 gols) e do Brasileirão (18) no ano passado: quatro gols em nove jogos. Mais do que a falta de gols, o camisa 19 tem as atuações questionadas pela torcida, tendo sido vaiado pelos rubro-negros no último clássico disputado.

Além de ter vindo direto de um rival do Rio de Janeiro, o Ceifador "sofre" uma pressão a mais: ser o substituto de Paolo Guerrero no comando do ataque. O atacante peruano, ídolo da torcida, está suspenso até 28 de abril por doping.

Confira outras respostas do meia Diego, camisa 10 do Flamengo:

1. Como está sendo o reencontro com o Guerrero?

Ele está muito feliz. É muito difícil não poder fazer o que você ama. Sinto essa alegria na volta dele. Nós também estamos felizes. É um jogador muito importante para nós.

2. O esquema adotado por Carpegiani, com apenas um volante, exige demais dos meio-campistas na hora da marcação?

É um sistema que exige de todos e estamos conscientes do que fazer em campo. O esforço deve ser feito e o mais importante é usar a qualidade de cada um a favor da equipe. É preciso que se crie um automatismo em todos os sentidos com ou sem a bola. É claro que temos que nos cobrar e evoluir. Chegaremos para esse jogo contra o Botafogo preparados.

3. Qual foi a avaliação feita após a partida contra o Fluminense?

Fizemos a análise do jogo e é óbvio que algo poderia ter sido feito de forma diferente, poque não saímos com o objetivo alcançado, mas não foi um desempenho de todo ruim. O que temos treinado é criar cada vez mais opções agudas, para que cada vez mais o adversário sinta o perigo. É algo que temos aprimorado e com certeza nos tornaremos mais eficientes na frente.