| Futebol

Diego chega ao Flamengo: o impacto de um ídolo!

A contratação do meia não melhora só o time rubro-negro como também eleva o nível do Campeonato Brasileiro

flameng - Diego chega ao Flamengo: o impacto de um ídolo!

Centenas de rubro-negros no aeroporto, mais uma multidão esperando Diego na Gávea para a apresentacao oficial. A partir de agora a camisa 35 deverá ser a mais procurada nas lojas. Uma onda de otimismo e euforia toma conta do Flamengo. Esta é a essencia do futebol: a paixao do torcedor!

Perfil

Diego é um jogador que tem a cabeça no lugar. Casado e com dois filhos pequenos, não deve perder o foco no trabalho e cair nas tentações que o Rio de Janeiro oferece. Morei quase seis anos no Rio e sei do que estou falando... Diego nunca foi da noite, sempre foi um cara profissional. Os 12 anos de Europa demonstram isso.

Outra coisa que me agrada é o jogador ainda ter lenha para queimar, porque, ao contrário de atletas em final de carreira que voltam ao Brasil para jogar no clube do coração, ele ainda tem objetivos muito claros na carreira: títulos e a Seleção.

Carreira

Santos, Porto, Werder Bremen, Juventus, Wolfsburg, Atlético de Madrid e Fenerbahce. Diego começou como um dos jogadores mais talentosos da sua geração e foi bicampeão brasileiro pelo Santos (2002 e 2004). Na Europa, não conseguiu o mesmo sucesso, mas sempre teve boas passagens por clubes de ponta, conquistando títulos expressivos como o da Copa da Alemanha pelo Werder Bremen (temporada 2008-2009) e do Campeonato Espanhol (2013-2014), entre outros.

Pela seleção brasileira, ganhou duas Copas Americas (2004 e 2007) e uma medalha de bronze na Olimpíada de 2008, além de vários títulos nas seleções de base.

Onde deve jogar

Meia de ligação, com ótima visão de jogo, bom passe e chute de longa distancia. Acho que Diego rende mais quando joga centralizado, com liberdade para chegar na frente, atrás dos dois atacantes, ou por dentro da linha de 3 meias, atrás de Guerrero. Ajuda na marcação, mas, se for escalado aberto para acompanhar o lateral adversário, Diego perde o que tem de melhor: o poder de criação e a capacidade de decidir jogos, seja numa jogada individual ou deixando um atacante na cara do gol.

Camisa 35

Como a 10 já tem dono, já que Ederson estava no elenco, ele escolheu a 35 porque representa a idade de seus dois filhos: Matteo, de 3 anos, e Davi, de 5.


O que esperar

O Flamengo é bom e vai brigar por vaga na Libertadores. O elenco está se qualificando: chegaram Réver e Rafael Vaz e. mais recentemente, o zagueiro Donatti e o atacante Leandro Damião. Tem espaço para todo mundo? Claro que não! Mas as várias opções estimulam a competição interna, a briga por posição, e isso faz com que os jogadores não se acomodem, o que torna o time ainda mais forte. Isso dentro de campo.

Fora, se o marketing trabalhar bem, a chegada de Diego vai aumentar a receita do clube: bilheteria, sócio-torcedor, venda de produtos... Isso é gestão! Faltam as conquistas esportivas, os títulos.

Eu vesti a camisa rubro-negra e sei o quanto a torcida é apaixonada. Alguns dos momentos mais marcantes da minha vida foram quando tive o meu nome gritado por todo o Maracanã ao fazer um gol ou com a torcida pedindo a minha entrada em campo. Diego tem que se dedicar. Se não der na técnica, não pode faltar disposição, luta. Talento ele tem de sobra.

A chegada dele vai fazer muito bem para o Brasileirão e para todos nós que gostamos de um futebol bem jogado.

Boa sorte, Diego!

Siga o Caio Ribeiro no Twitter e no Instagram


Fonte: http://globoesporte.globo.com/opiniao/caio-ribeiro/noticia/2016/07/diego-chega-ao-flamengo-o-impacto-de-um-idolo.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.