"Seu moleque do c*. Moleque de m*. É um b* mesmo. (...) Olha o que ele fez! Me pisou!", bradou Diego, irritado, apontado para a barriga e mostrando o arranhão ao árbitro da partida.

Depois, foi a vez de Willian Arão e Lucas entrarem em conflito. Após uma disputa entre Marcos Júnior e Rhodolfo, na qual o zagueiro rubro-negro chutou o atacante tricolor no chão, o volante e o lateral-direito discutiram fortemente e Arão ameaçou: "Me espera lá fora então!". Após o apito final, o camisa 2 do Flu tentou procurar o rival e foi contido por outros jogadores.

"Ele passou por mim e debochou da nossa eliminação. Ele primeiro tem que respeitar a minha pessoa e depois a instituição. O Fluminense é muito grande, está acima de mim, dele, de qualquer jogador. Aconteceu um lance e deu uma confusão. Ele botou a mão em mim, eu botei a mão nele. Achei que tivesse morrido a situação. Ele disse que me pegava aqui fora. Chega a ser engraçado. Mas esperei ele dentro do campo para poder conversar com ele. Debochou da minha cara, do Fluminense. Mostra o caráter dessa pessoa", reclamou Lucas, em entrevista ao ​globoesporte.com.

Arão se defendeu:

"Depois, em momento algum fiz chacota com ele. O que aconteceu foi que ele me deu um tapa em campo e eu perguntei se ele seria homem de dar um tapa fora de campo. Se quiser conversar ou resolver também a gente está aí", disse o volante.

Como o Flamengo venceu o jogo de ida por 1 a 0 e empatou o segundo clássico em 3 a 3, o Rubro-Negro está na semifinal da Copa Sul-Americana e pega o vencedor do duelo entre Júnior Barranquilla e Sport.

​​