No entanto, se depender da vontade da diretoria, não haverá mais tal problema em um futuro próximo. O vice de patrimônio do clube, Alexandre Wrobel falou com o ​Lance! sobre os passos para concretizar sonho de construção do estádio rubro-negro:

"Primeiro, temos que trabalhar muito, como estamos trabalhando, na eventual aquisição do terreno, nos estudos que estão sendo feitos. Sendo positivo o resultado, temos quatro meses para aquisição. Aí, depois disso, temos um prazo de elaboração de projeto, detalhamento, um longo caminho pela frente. Não acredito que a obra comece dentro de um ano. Para comprarmos o terreno, ainda passa pelo conselho deliberativo. Se o Flamengo optar por isso, é um projeto do clube, não dessa gestão (...)", projetou.

Ter uma casa para jogar é desejo antigo entre os flamenguistas, sobretudo depois de o Maior do Mundo onerar de forma acima da média nos últimos anos. Havia a vontade de administrar o local, mas até o momento nada andou nesse sentido por conta do obscuro processo de licitação. A saída, então, foi buscar alternativas paralelas, como contou Wrobel:

"Analisamos praticamente 40 terrenos. Chegamos a três que nos atenderiam e culminamos com esse. Já vemos estudando esse terreno há um tempo. Chegamos a um consenso em relação a valores. E aí assinamos o documento, que não obriga o Flamengo a nada, mas dá um prazo para os estudos necessários", revelou o dirigente.