| Futebol

Disputa silenciosa põe Fla, Flu e Ferj em compasso de espera pelo Maraca

Rubro-Negro e federação sinalizam com parceiros para concorrer em novo edital, e Tricolor age nos bastidores no aguardo da devolução do estádio pela Odebrecht

flameng - Disputa silenciosa põe Fla, Flu e Ferj em compasso de espera pelo Maraca

Sem receber jogo de clubes desde a final do Campeonato Carioca, dia 8 de maio - na decisão que deu ao Vasco o bicampeonato estadual em cima do Botafogo -, o Maracanã segue no poder da Rio 2016 até 30 de outubro. Nos bastidores, a disputa silenciosa envolve a negociação da Odebrecht para a devolução do estádio para o governo, acompanhada de perto pelo Fluminense, que tem contrato com a atual concessionária do Maracanã por mais 32 anos, e o olhar atento de Flamengo e parceiros, além da Ferj, que também acena com operação de partidas no estádio.

Embora a indefinição política hoje paire nas tratativas do futuro do estádio - há visões distintas que vão desde as duas cabeças mandantes do poder estadual, com um governador afastado, Luiz Fernando Pezão, ao em exercício Francisco Dornelles -, há expectativa de que novo edital de licitação seja lançado após as eleições de outubro.

- Hoje, essa é a tendência. Mas ninguém espera que algo fique definido antes das eleições - diz um dos agentes envolvidos nas negociações com o governo estadual. O primeiro turno das eleições está marcado para um domingo, dia 2 de outubro.



Evitando manifestações públicas sobre o tema enquanto governo e Odebrecht não terminam negociação da devolução do estádio, o Flamengo, que tem contrato até o fim do ano com a concessionária, aguarda que novas regras sejam colocadas para participar da concorrência. Para isso, já tem pelo menos um parceiro, a empresa de marketing esportivo CSM.

Em constante briga política com o Flamengo - mais recentemente, também em disputas judiciais -, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro não concorre para administrar o Maracanã, mas para operar no estádio. A companhia francesa Lagardere quer entrar na concorrência para assumir o Maracanã em novo edital de licitação e até poderia assumir a concessão no lugar da Odebrecht, o que desagrada em cheio o Flamengo.

Leia mais:

Fla quer assumir custo para voltar ao Maraca; comitê alerta: "Não é simples"
Rio 2016 afirma ter contrato até 30 de outubro e não devolve Maracanã antes
Prazo para recuperação do gramado do Maracanã deve impedir Fla-Flu
Fla e Flu abrem conversas e discutem como operar gestão do Maracanã
Pai do Rock in Rio pede revolução no futebol e Maracanã: 'É nossa Beyoncé'
Após foto com dirigentes do Fla, Trengrouse explica assunto: Maracanã

Maracanã: quando volta?
A diretoria do Fluminense acompanha de perto as tratativas, inclusive com representantes lidando diretamente com agentes políticos. Com acordo válido por todo tempo de concessão à Odebrecht, a devolução do Maracanã - que é prevista no caso de inadimplência do governo com a concessionária ou o contrário - ao governo anularia o contrato com o estádio, que lhe garante vantagens comerciais e, por exemplo, o disputado lado direito da arquibancada. Na semana passada, a foto do candidato tricolor Pedro Trengrouse com ex-presidentes rubro-negros provocou polêmica pelos lados das Laranjeiras. O advogado afirmou que o estádio será licitado novamente pelo governo do estado e pediu ação da atual diretoria do Fluminense.

Procurado pelo GloboEsporte.com, a assessoria do governo do estado respondeu que "ainda transcorrem negociações entre o governo e a Odebrecht e que não há nenhuma hipótese descartada". A secretaria da Casa Civil, a Fazenda e o governador participam das tratativas. Flamengo, Fluminense e Ferj preferiram não se manifestar neste momento.

Com uso exclusivo da Rio 2016 para os jogos paralímpicos e data de devolução marcada para 30 de outubro, existe expectativa também pela programação de Flamengo e Fluminense no estádio até o fim do ano. A revista "Veja" informou na edição do último fim de semana que fogos de artifício danificaram o teto do Maracanã na festa de encerramento. O novo problema deixou as diretorias rubro-negra e do tricolor ressabiadas sobre o interesse político em abrir novamente o estádio antes da solução do imbróglio Odebrecht-Maracanã.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2016/09/disputa-silenciosa-poe-fla-flu-e-ferj-em-compasso-de-espera-pelo-maraca.html

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.