| Futebol

DIVISÃO DE COTAS DA TV

Quem vende mais, ganha mais

 

Um dirigente do São Paulo divulgou esta semana que assinou um novo contrato de transmissão com a Rede Globo para canais fechados onde recebeu luvas de 60 milhões e com uma divisão de cotas como no modelo inglês, 40% por igual aos 20 clubes da Série A, 30% pela classificação e outros 30% pela audiência.

Pois bem, vamos antes entender como funciona a divisão de cotas na Inglaterra, onde a Premiere League é quem negocia pelos 20 clubes da primeira divisão, neste caso quem é rebaixado não participa do rateio. (Se fosse assim no Brasil, o Vasco não poderia receber o mesmo que o Palmeiras que está na Série A).

A Série B de lá também negocia a parte e tem a mesma forma de distribuição que a Premiere League, mas a questão fundamental por lá é que os clubes se uniram e criaram a Liga que negocia direitos de transmissões, contratos com placas de publicidade e caso ninguém ainda percebeu, mesmo os times tendo fornecedores de materiais diferentes, a numeração da camisa de todos os clubes são os mesmos, isso ocorre por conta da padronização comercial da Premiere League.

Para se comparar os ganhos com a divisão, o Liverpool foi quem mais arrecadou na temporada passada e o que menos arrecadou foi o Cardiff que foi rebaixado, um levou 122,5 milhões de Libras enquanto o Cardiff recebeu 77,9 milhões de libras, dando uma diferença de 2 para 1.

Como comparativo a Espanha, onde os clubes negociam de forma individual esta diferença é de 11 para 1, na Itália 4 para 1, a mesma diferença que ocorre no Brasil.

Por falar nisso, a Espanha divide as cota de TV de forma que 50% são divididos por igual e a outra metade considera desempenho esportivo, número de sócios e bilheteria, ou seja, mesmo assim Real Madrid e Barcelona ganham cerca 160 milhões de Euros e a segunda turma como Valencia e Atlético de Madrid recebem na faixa de 45 milhões de Euros.

Agora, como pode o presidente do São Paulo firmar um contrato com divisões igualitárias sendo que no Brasil não existe uma Liga que organiza campeonatos como na Inglaterra? Como pode ele cobrar uma divisão como a da Premiere League se no Brasil cada clube negocia de forma individual?

Me parece que esqueceram de avisar ao tricolor do Morumbi que o Clube dos 13 já acabou tem um certo tempo, não sendo mais as cotas dividas em blocos.

Porém ele ajudou e muito ao Flamengo, pois escancarou quanto ele recebeu de luvas, sendo que Corinthians, Vasco e Atlético-MG, por exemplo, que já assinaram a renovação onde anteciparam suas cotas na faixa de 40 milhões de reais, deixaram o Flamengo com a faca e o queijo na mão e empurrando a negociação para apenas o final de 2018, ano que acaba o contrato atual.

Desta forma o Flamengo que não precisa antecipar cotas televisivas, que não tem nenhum adiantamento feito com a Globo, coloca a plim plim contra a parede podendo fazer o maior contrato televisivo já visto no Brasil. Se o São Paulo que nas medições de audiência consegue ficar atrás do Vasco consegue 60 milhões de reais de luvas, quanto o Flamengo não irá pedir para assinar a renovação.

Não adianta jornalistas ficarem dizendo que pode ocorrer uma “espanholização” no Brasil, que Flamengo e Corinthians não podem receber mais que os outros clubes, que isso e aquilo. Coloquem na cabeça de vocês uma coisa, NÃO EXISTE LIGA NO BRASIL. Somente uma Liga pode negociar em bloco e em nome dos clubes, como não existe, é cada um por si e quem vende mais ganha mais, simples assim.

 

SRN!


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.