• BICAMPEÃO DA LIBERTADORES
  • HEPTACAMPEÃO BRASILEIRO

DNA ofensivo, ídolo veterano e desfalques: destrinchando o Racing, adversário do Fla na Libertadores

Por: Guilherme Calvano

Na próxima terça-feira (24), às 21h30 (horário de Brasília) o Flamengo enfrenta o Racing, em Avellaneda, na Argentina, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. Vindo de quatro derrotas consecutivas no Campeonato Argentino, fato que não acontecia desde 2016, o time argentino aposta todas as fichas na competição intercontinental.

Como joga o Racing?
Em busca do tricampeonato da América, o Rubro-Negro pode esperar um adversário agressivo, que gosta de ter a bola e joga com a defesa em linha alta. Somando as últimas quatro partidas da fase de grupos da Libertadores, o Racing foi o segundo time com mais posse de bola – ficando atrás apenas do Independinente del Valle.

Atualmente, a defesa é o setor mais criticado pela torcida e imprensa Argentina. Nos últimos quatro compromissos do time foram 10 gols sofridos. De quebra, o meio-campo e o ataque não se entendem. Nesse ínterim (quatro partidas), a equipe balançou as redes apenas uma vez, na derrota por 4 a 1 para o Atlético Tucumán.

Em contato exclusivo com o Coluna do Fla, Sofía Antonacci, jornalista argentina e setorista do Racing, revelou que o treinador Sebastián Beccacece, buscando melhorar o desempenho do time e afastar a má fase, vem mexendo bastante na equipe nos últimos treinamentos.

Nestes dias o treinador vem testando a equipe com uma linha de cinco defensores. Isso mudaria muito o jeito de atacar, já que os laterais se somariam ao meio-campo e Héctor Fértoli (atacante) jogaria de extremo pela esquerda, o que frequentemente está habituado a fazer -, explicou Sofía.

Os defensores centrais do Racing não estão em seu melhor momento. Há um ano atrás eram jogadores mais sólidos, mas hoje o rendimento é baixo. A defesa não está sólida. Nas últimas partidas, as equipes rivais marcaram gols antes dos dez minutos. Enquanto isso, o ataque do Racing chega, mas não consegue definir -, analisou.

Sebastián Beccacece
Desde janeiro de 2020 no comando do Racing, o técnico, fã de Pep Guardiola e Marcelo Bielsa, é adepto do jogo vertical e ofensivo. Gosta de ficar o máximo possível com a bola para não correr riscos na defesa. Dedicado e estudioso, a obsessão de Beaccacece pelo futebol e pelo ofício de treinador fica claro na beira do campo, onde rege a equipe de maneira enérgica e explosiva.

Beccacece vive assim nas partidas. Não é de agora, sempre que está em um banco de suplentes, não para de caminhar, gritar e dar instruções. É muito efusivo durante os 90 minutos, mas é um técnico muito sereno no momento de dar entrevistas à imprensa -, afirmou Sofía.

Ele é da escola Bielsista, foi assistente de Jorge Sampaoli por vários anos em muitos clubes. Como técnico já treinou a Universidad de Chile, Seleção Argentina sub-20, Defensa y Justicia, Independiente (rival histórico do Racing) e Racing -, completou.

Lisandro López
Principal nome do Racing, o atacante de 37 anos, que já passou pelo Internacional, do Brasil, e por clubes importantes do futebol europeu, foi formado no time de Avellaneda e é muito querido pela torcida. Os números de Lisandro, contudo, são tímidos. Na última temporada, foram apenas quatro gols em 24 partidas.

Lisandro López surgiu em Titta Mattitussi (complexo onde os juvenis do Racing se formam). Estreou na primeira divisão pelo Racing em 2003. Em 2005 foi para o Porto, de Portugal. Passou por Lyon, da França, Al Gharafa, do Catar e pelo Inter, do Brasil. Voltou ao Racing em 2016 e foi campeão na temporada 2018-19.

Ele é o capitão da equipe. Sofreu algumas lesões musculares nos últimos meses, mas agora está recuperado. É um emblema do clube, um líder em campo e um dos jogadores que mais sabe acompanhar e orientar os jovens que chegam à primeira divisão.

Desfalques
Além das derrotas sucessivas e da péssima fase vivida, o Racing tem de lidar com outro problema para enfrentar o Flamengo: os desfalques. No último sábado (21), o atacante Cristaldo testou positivo para o novo coronavírus e está fora do primeiro jogo das oitavas de final. Marcelo Díaz, Mauricio Martínez, Augusto Solari e Darío Cvitanich, lesionados, também são baixas. Lorenzo Melgarejo, Nery Domínguez, Reniero e Soto são dúvidas.

 

 

Publicado em colunadofla.com.