Lomba já disse: não quer interferência externa. Ou seja, deseja total autonomia para colocar em prática o seu pensamento de futebol - caso contrário, sairá do cargo. Internamente, se fala em uma mudança drástica de fotografia. Segundo o ​Uol, alguns aliados políticos querem, por exemplo, as saídas de Alex Muralha, Gabriel, Márcio Araújo, Rafael Vaz e Romulo. Além disso, falam no desligamento do preparador de goleiros Victor Hugo e do coordenador de psicologia Fernando Gonçalves. Existe, também, a reivindicação para que o CEO do Fla, Fred Luz, deixe de interferir no futebol.

Avesso a trocas radicais, Bandeira de Mello seria o principal obstáculo para que tudo isso aconteça de uma só vez. Ou seja, precisará ser convencido para, enfim, poder dar o seu aval. Sua característica sempre foi a de dar um tempo maior para as coisas acontecerem. Vide, por exemplo, o quando segurou Zé Ricardo e Cristóvão Borges como treinadores da equipe. Porém, se não der o braço a torcer, talvez fique sem o apoio necessário para uma boa governança. Em resumo: trata-se de uma verdadeira sinuca de bico. O que se passa na cabeça do presidente? Só ele pode dizer.