| Futebol

Em atuação fraca, Flamengo leva sustos no fim e empata sem gols com a Chapecoense

Exceto em bolas aéreas, time rubro-negro levou pouco perigo nas oitavas da Sul-Americana

Depois de uma atuação abaixo da média, o Flamengo pode até se considerar satisfeito com o empate sem gols diante da Chapecoense, nesta quarta-feira, na Arena Condá. No jogo de volta, pelo critério do gol fora de casa, qualquer igualdade no placar dá a vaga aos catarinenses nas quartas de final da Sul-Americana — exceto um novo 0 a 0, é claro, que leva a decisão para os pênaltis. Só que a impressão, principalmente nos últimos 15 minutos, é que o prejuízo poderia ser mais explícito para o time rubro-negro.

No primeiro tempo, a atuação do Flamengo resgatou a lembrança dos momentos mais infrutíferos vividos antes da chegada de Rueda. Mesmo tendo a bola em 65% do tempo de jogo, o time rubro-negro permanecia estéril no ataque. Guerrero foi a exceção à regra, produzindo chances isoladas: primeiro em uma bola aérea aos 10 minutos, quando sua finalização foi bloqueada por Moisés; depois, aos 15, com um chute de longe que assustou o goleiro Jandrei.

Embora muitos titulares tenham sido poupados no fim de semana, o time jogava numa intensidade muito abaixo da exibida no mata-mata da Copa do Brasil. A questão física revelou-se um problema ao menos para Everton, que sentiu dores na panturrilha esquerda e pediu para sair aos 25 minutos de jogo.

O lado direito do ataque se desenhava como principal caminho para o Flamengo chegar ao gol da Chapecoense. Alan Ruschel, em sua primeira partida oficial como titular após a sobrevivência milagrosa ao acidente aéreo na Colômbia, criou a melhor chance do primeiro tempo aos 40 minutos, com uma finalização forte que Diego Alves espalmou. Ruschel, no entanto, tinha clara dificuldade para ajudar na recomposição defensiva. O problema é que Berrío e Rodinei estavam em noite pouquíssimo inspirada. Precisou Willian Arão se infiltrar por aquele setor, aos 33 minutos, para que o time rubro-negro alcançasse a linha de fundo e exigisse uma interceptação de Jandrei.

Diego voltou mais participativo do intervalo e, por 15 minutos, o Flamengo foi mais dinâmico. Ainda assim, o setor ofensivo não conseguia furar a marcação da Chapecoense pelo chão. As chances, então, surgiram pelo alto e com a dupla de zaga. Aos cinco, Diego cobrou escanteio na cabeça de Juan, que cabeceou em cima de Jandrei. Aos 15, novamente na bola parada, Diego cruzou para um desvio de Réver, e o goleiro da Chape salvou no reflexo.

Quando o camisa 10 caiu tecnicamente, no entanto, o time rubro-negro se viu sem opções de saída de jogo e a Chapecoense passou a ditar o ritmo da partida. Aos 29, Diego Alves rebateu um chute de Penilla nos pés de Reinaldo, que errou o alvo. Canteros, que teve passagem apagada pelo Flamengo entre há dois anos, deixou Luiz Antônio, outro ex-rubro-negro, de frente para o gol aos 38. Diego Alves, desta vez, saiu-se bem. Aos 41, o goleiro rubro-negro nada poderia fazer em boa chegada de Penilla, cara a cara, mas o equatoriano chutou para fora.

FICHA DO JOGO: CHAPECOENSE 0 X 0 FLAMENGO

Chapecoense: Jandrei, Apodi, Douglas Grolli, Fabrício Bruno e Reinaldo; Moisés Ribeiro (Lucas Marques), Lucas Mineiro e Canteros; Wellington Paulista, Alan Ruschel (Luiz Antônio) e Túlio de Melo (Penilla).

Flamengo: Diego Alves, Rodinei, Réver, Juan e Pará; Willian Arão, Cuéllar, Berrío (Lucas Paquetá), Diego (Éverton Ribeiro) e Everton (Vinícius Jr.); Guerrero.

Juiz: Gery Vargas (Fifa/Bolívia)

Cartões amarelos: Reinaldo, Fabrício Bruno, Guerrero, Vinícius Jr., Cuéllar, E. Ribeiro.

Público presente: 9.702

Renda: R$ 279.770,00

Local: Arena Condá (SC)

Fonte: https://oglobo.globo.com/esportes/em-atuacao-fraca-flamengo-leva-sustos-no-fim-empata-sem-gols-com-chapecoense-21819455

Comentar pelo Facebook

Leia também


Comentar pelo Site

Nenhum Comentário
Seja o primeiro a comentar essa notícia.