"A desvalorização de alguns jogadores acontece por excessivo desconhecimento das funções que exercem em campo. Gostaríamos de utilizá-los ainda mais, mas somos impedidos por conta do trabalho negativo que fizeram contra o jogador A, B ou C. Isso cria um grande problema com a torcida quando os encontra em campo. Temos um jogador com uma capacidade enorme e os torcedores não compreendem. É o Márcio Araújo. O Gabriel também é um grande jogador, inteligentíssimo e dotado de uma capacidade técnica tremenda. Também temos dificuldades de colocá-lo para jogar. A torcida não gosta. Ele foi rotulado de não estar qualificado para atuar no Flamengo. A nossa opinião é outra. Márcio, Gabriel, Muralha e Vaz são nossos jogadores. Eles não são adversários da torcida. Deveriam ser apoiados e acarinhados para que rendam ainda mais", disse o dirigente.

Questionado também sobre a ausência de títulos expressivos durante a temporada, principalmente devido ao alto investimento financeiro feito pelo clube na formação do elenco, Mozer usou o Campeonato Carioca conquistado pelo Flamengo para defender o trabalho da atual gestão.

"Todo título tem expressão. Se você não ganha um Campeonato Carioca, o Flamengo vira um inferno. Você tem dúvida disso? Já ganhamos um título, é bom que todo mundo saiba. Temos a possibilidade de ganhar a Copa Sul-Americana e faremos todo o esforço para isso. Pedimos que a torcida esteja conosco e nos ajude a conquistar mais um título de expressão, como assim você disse. Valorizamos todas as conquistas no meio do futebol. Nenhum título é fácil. Se tivéssemos conquistado a Copa do Brasil, o discurso seria completamente diferente", afirmou.

​​

​​