Em noite de Vinícius Júnior, Flamengo derrota o Emelec no Equador

Em noite de Vinícius Júnior, Flamengo derrota o Emelec no Equador

Vinícius Júnior fez, nesta quarta-feira, sua melhor partida como profissional do Flamengo. Mesmo entrando apenas aos 21 minutos do segundo tempo, o jovem atacante fez a diferença e levou o rubro-negro à primeira vitória em dois jogos na Libertadores: 2 a 1, de virada, sobre o Emelec, em Guayaquil, no Equador.

- Só estou dando continuidade no profissional ao que eu vinha fazendo na base. Coma ajuda de todos, pude fazer os dois gols - festejou o herói da vitória rubro-negra.

O primeiro tempo foi aberto, mas o Flamengo não se intimidou em momento algum, criando as melhores chances. Logo aos seis minutos, Diego lançou Éverton Ribeiro na área e Guagua tirou com a mão. Porém, o árbitro paraguaio Mario Diaz de Vivar ignorou o pênalti claríssimo.

Uma das melhores opções ofensivas do time de Paulo César Carpegiani foi Rodinei. Aos 41, o lateral-direito cobrou escanteio, Rhodolfo cabeceou forte, no canto, e Dreer fez uma bela defesa. No minuto seguinte, Rodinei cruzou, e Henrique Dourado cabeceou com perigo. O goleiro equatoriano voltou a aparecer bem aos 10, quando Diego chutou de longe, e a defesa foi em dois tempos.

Numa competição de alto nível quanto a Libertadores, nenhuma equipe pode se dar ao luxo de perder gols. Aos 19, Angulo recebeu livre na entrada da área e chutou para abrir o placar a favor dos equatorianos, num banho de água gelada na boa atuação rubro-negra até então.

Mas o Flamengo tem valores individuais que podem fazer a diferença. Aos 32, Vinícius Júnior, que entrara 11 minutos antes, no lugar de Everton Ribeiro, recebeu de Paquetá na direita, passou por três adversários e soltou a bomba. Um golaço, que deixa no ar a pergunta: como o pode o jovem atacante rubro-negro ser reserva?

O time de Carpegiani poderia ter até virado o placar, mas Dourado estava numa noite irreconhecível. Na melhor chance, cabeceou, sozinho e na pequena área, para fora, aos 37.

A noite, no entanto, era de Vinícius Júnior. Aos 39, o atacante tabelou com Diego e tocou colocado no ângulo direito. Festa rubro-negra numa noite que se desenhava trágica no Equador.