Em processo contra administração do Maracanã, Fla tem agravo negado e vai ter que cumprir contrato firmado

Em processo contra administração do Maracanã, Fla tem agravo negado e vai ter que cumprir contrato firmado

A Justiça negou um recurso do Flamengo em processo contra a concessionária que administra o Maracanã. Na prática, a medida mantém em vigor os termos do contrato firmado entre o clube e administração do estádio para os cinco jogos do rubro-negro como mandante na reta final do Brasileirão de 2017. Desta forma, o Maracanã fica “livre” para cobrar um valor de aluguel que varia de R$ 250 mil a R$ 700 mil, dependendo do porte da partida.

O agravo de instrumento foi discutido na 17ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ). Por maioria, foi derrubada uma decisão preliminar tomada em novembro do ano passado — e reforçada em 18 de dezembro —, que limitava o valor do aluguel entre R$ 150 mil e R$ 500 mil.

O Flamengo entrou com a ação para tentar ter condições similares ao Fluminense no uso do estádio. O tricolor paga R$ 100 mil/jogo de aluguel, algo que, segundo a concessionária, não cobre as custas do estádio.

Apesar da decisão, a relação entre Flamengo e Maracanã está melhorando. O clube, inclusive, escolheu o estádio para o jogo contra o Independiente Santa Fé, da Colômbia, pela Libertadores. A partida terá portões fechados e chegou a ser marcada para o Nilton Santos.

A diretoria rubro-negra ouviu uma proposta de aluguel do Botafogo (maior que os R$ 250 mil do jogo contra o River Plate, pela primeira rodada do grupo), mas pediu à Conmebol para jogar no Maracanã. Há conversas entre clube e administração do estádio para mais partidas lá.